Postagens

Mostrando postagens de Fevereiro, 2013

ESTUDO SOBRE MACACOS PODE EXPLICAR MONOGAMIA HUMANA

Imagem
Jim Wallace/Duke University Monogamia de espécie sul-americana mostra que os vínculos emocionais profundos entre parceiros não são emoções exclusivas do homem.
Cientistas estudam a monogamia entre macacos da noite Pode não parecer verdade, mas vínculos emocionais em animais como os primatas podem ter evoluído no que nós humanos conhecemos como amor. Um exemplo disso são os macacos da noite que vivem em árvores tropicais e tratam todo dia como se fosse Dia dos Namorados. Um macho e uma fêmea ficam juntos até o final de suas vidas, nunca traem e nunca se divorciam de seus companheiros - um comportamento extremamente incomum, mesmo entre as pessoas. Às vezes, no entanto, macacos jovens adultos que não conseguem encontrar companheiros - macacos que os cientistas chamam de flutuadores – engajam em brigas ferozes com parceiros estabelecidos, eventualmente fazendo com que um deles desista da relação.


Agora, uma nova pesquisa mostrou que os macacos que são forçados a assumir novos parceiros têm me…

RELAÇÕES HOMOAFETIVAS : AVANÇOS E RESISTÊNCIAS

Imagem
duas amigas, pastel sobre papel, henri
toulouse-lautrec, século xix, coleção particular
Relações homoafetivas: avanços e resistências Ainda é preciso construir o espaço psíquico para tolerar a diferença
Há algumas semanas o Superior Tribunal de Justiça (STJ) aprovou a lei que regulamenta a união estável entre pessoas do mesmo sexo, tornando-a, do ponto de vista legal, equivalente à de casais heterossexuais. Isto significa a validação no plano jurídico de várias conquistas civis: o direito à herança do companheiro, ou companheira, pensão alimentícia em caso de separação, possibilidade de fazer declaração conjunta do imposto de renda e – um passo fundamental – o direito à adoção de filhos, o que antes era permitido apenas a um dos membros do casal.


A medida modifica o contexto nebuloso e enigmático das relações homoafetivas, conferindo a elas caráter de legitimação jurídica, o que não é pouco quando se trata da vida conjugal e familiar, em grande medida regulada por diretrizes do Estado. E…

SEDUÇÕES ÍNTIMAS : ROUPAS SENSUAIS ATIVAM O DESEJO SEXUAL

Imagem
Seduções íntimas Meias de seda, sutiãs que realçam as formas dos seios, cintas-liga e calcinhas sensuais fazem mais que despertar a fantasia sexual: atualmente essas peças revelam preferências, desejos e medos de quem os usa ou os admira.

Há peças de roupa feminina que servem para cobrir, proteger ou esquentar – e existem aquelas que escolhemos para instigar o prazer daqueles que desejamos atrair. Qualquer que seja a motivação da escolha, aquilo que vestimos – ainda que junto à pele, longe do olhar da maioria das pessoas – faz revelações sobre nossos medos e fantasias. Embora hoje as rendas e os lacinhos já não estejam tão escondidos, até há poucos anos sutiãs, calcinhas, combinações, anáguas e corpetes, sempre em cores discretas, eram encontrados apenas em lojas de armarinhos ou nas prateleiras dispostas disfarçadamente nas grandes lojas. Atualmente a roupa íntima é um fenômeno de moda presente em campanhas publicitárias famosas; tornou-se um aspecto da cultura. Quem não se lembra, po…

O OLHAR DE TRES GERAÇÕES DE MULHERES A RESPEITO DO CASAMENTO

Imagem
O olhar de três gerações de mulheres
a respeito do casamento1

The point of view of three generations of women about marriage


Fernanda Cristina Gomes de Carvalho; Maria Lucia de Souza Campos Paiva *
Universidade Presbiteriana Mackenzie


Na atualidade notamos cada vez mais relacionamentos conjugais descartáveis e desinteresse por uma união estável. Segundo Bauman (2004), na sociedade moderna encontrou-se uma maneira diferente de estabelecer relações amorosas. Os relacionamentos duradouros não são mais vistos como metas ou como exemplos do que os indivíduos almejam. As pessoas vêm sofrendo um processo de individualização e enxergam o relacionamento como algo solúvel, quanto mais desapego, melhor. Desse modo, pode-se dizer que um relacionamento moderno tem sua duração incerta, vinculada ao quanto as partes estejam plenamente satisfeitas.
De acordo com Bauman (2004) ainda vivemos na era moderna, discordando de outros autores que consideram a época atual como pós-moderna. Para ele, o mundo modern…

RELACIONAMENTOS AMOROSOS NOS DIAS DE HOJE

Imagem
Relacionamentos amorosos nos dias de hoje

Considerando os relacionamentos amorosos nos dias de hoje, é possível observar que ainda existe romantismo nas relações. As pessoas se apaixonam, têm casos amorosos, "ficam", namoram, se casam, traem,... pois, precisam viver a fantasia do amor romântico.Afinal, é da natureza humana concretizar seus sonhos. E é também de sua natureza buscar parcerias afetivas, vide a explicação de Platão sobre o Mito do Andrógino, segundo o qual, o ser humano vive na eterna busca de sua metade perdida.
É claro, tudo depende da geração. Quanto mais jovem é a pessoa, mais idealista ela é (além da curiosidade em viver o amor romântico), maior será a tendência de vivê-lo (ou sonhá-lo) arrebatadoramente. Com o passar dos anos, as pessoas (principalmente, quem ainda não conseguiu se realizar num relacionamento amoroso) tendem a continuar na busca ou tornam-se cínicas, do tipo "só quero me dar bem".
Em tempo: obviamente, esta é uma percepção genérica,…

A CRISE DO AMOR ROMÂNTICO NA CONTEMPORANEIDADE

Imagem
A CRISE DO AMOR ROMÂNTICO NA CONTEMPORANEIDADE
SUMÁRIO: 1. Introdução. 2.O amor romântico e sua especificidade histórica. 3.Relacionamento amoroso na perspectiva de gênero. 4. A crise do amor romântico e as novas formas de amar. 5. Considerações Finais. Referências.
1- INTRODUÇÃO

O amor costuma ser visto como um sentimento natural, espontâneo e universal. Estudos, porém, nos esclarecem sobre sua condição histórica. Os seres humanos têm a capacidade de criar laços, demonstrar afeto, de amar. Mas o que chamamos de amor não existiu desde sempre, tampouco está presente em todos os contextos. Por ser histórico, o amor é uma construção social, e varia de forma, de significado e de valor. Assim como todas as culturas elegem suas formas de viver, de sofrer, de gozar, de morrer, também elegem suas formas de amar.
Neste artigo propõe-se a discutir questões associadas às relações entre homens e mulheres, a partir de uma pesquisa bibliográfica. Nossa análise adota uma perspectiva histórica, tomando a…