sexta-feira, 28 de agosto de 2015

O MITO DA VAGINA DENTADA E O TEMOR QUE PROVOCA NOS HOMENS

Ilustração: Lumi Mae
Ilustração: Lumi Mae

O mito da vagina dentada e o pavor que provoca nos homens

Comentando o “Se eu fosse você''

A questão da semana é o caso do internauta que se considera saudável em todos os aspectos, mas se julga defeituoso por conta do pânico que sente quando vai penetrar uma mulher. Para ele a vagina é vista como um grande perigo, o que o faz temer nunca conseguir ter uma relação sexual completa.
Sendo os órgãos sexuais de mulheres e homens tão diferentes, tornam-se de alguma forma misteriosos para o outro sexo. Embora na mulher possa existir algum temor pelo pênis do homem, nada se compara ao temor que os homens sentem pela vagina. É um perigo ameaçador porque não é visível e porque suas propriedades são estranhas.
“O que destrói o homem é a vulva”, dizia um velho maori, aborígine da Nova Zelândia. O que era explicado melhor por australianos da região central: “A vagina é muito quente, é um fogo e cada vez que o pênis ali penetra morre.” Os maoris ainda associam a vagina à morte. Os nomes que usam para designá-la são “casa da morte e da desgraça” e “buraco destruidor”.
Nos mitos, a vagina é representada alternadamente como força devoradora, devastadora, insaciável, uma caverna com dentes, que causa pesadelos e, finalmente, a morte. Na Índia, inúmeras lendas falam de mulheres cuja vagina está cheia de dentes. O pênis do homem seria decepado por tal monstruosa boca. Esse medo é ligado inicialmente ao do sangue menstrual, assustador e doentio, já que é objeto de imensa quantidade de tabus, mas também o sangue da defloração, que muitos acreditam trazer azar.
Simone De Beauvoir observa que na maioria das representações populares, a morte é mulher. O caos de onde tudo saiu e para onde tudo deve voltar.
A escritora americana Camile Paglia, especula que os mitos em relação à vagina são transcrições diretas do poder feminino e do medo masculino. O horror de ser castrado no momento do coito atribui poder às mulheres.

A vagina dentada é um símbolo poderoso de castidade, acentuando o mistério da sexualidade feminina especialmente da anatomia genital e seu poder. A representação mais atual desse fenômeno é a aranha Viúva Negra; ela permite sexo para a reprodução e depois mata seu parceiro. A vagina dentada também permitiria a penetração apenas para a castração depois do ato.
No Ocidente, no século 12, vários textos aconselhavam os homens a tomar distância em relação à mulher devido ao seu desejo sexual incontrolável. Na França, o bispo Etienne de Fougère, falando sobre as mulheres, exortava os homens a mantê-las bem trancadas.
Alegava que se elas estivessem entregues a si mesmas, sua sexualidade se exacerbaria de tal forma que procurariam se satisfazer com os empregados, ou então entre si. Hoje, apesar de essas crenças sobre a vagina e a sexualidade feminina serem vistas como absurdas para muita gente, no inconsciente elas parecem ainda exercer enorme influência.
Sem dúvida, o internauta que relata a sua dificuldade, precisa de uma terapia que o ajude a entender todo o medo que sente no ato sexual e a se livrar dele.

Fonte:http://reginanavarro.blogosfera.uol.com.br/2015/08/15/quando-o-homem-teme-o-sexo/

Ilustração: Lumi Mae

10 COISAS QUE VOCÊ NÃO SABIA SOBRE O ORGASMO

10 coisas que você não sabia sobre o orgasmo

10 coisas que você não sabia sobre o orgasmo

Tudo começa com um artigo do Journal of Ultrasound in Medicine, que publicou uma imagem bastante curiosa de um feto agarrando seu órgão genital em desenvolvimento. Intitulado “Observações de masturbação in-utero”, o artigo discute a possibilidade de este não ser apenas uma escolha interessante de exploração do feto e ser algo mais deliberadamente gratificante.
Na palestra abaixo do TED, a autora Mary Roach fala sobre todas as observações médicas estranhas e maravilhosas sobre orgasmos que juntas formam uma imagem bastante intrigante de um fenômeno que certamente não se restringe aos órgãos genitais. Há a mulher que experimenta um orgasmo quando alguém acaricia sua sobrancelha, quando tocam o joelho, ou quando escova os dentes… entre outras peculiaridades.
Ah, e você sabia que você pode tecnicamente desencadear um orgasmo em uma pessoa morta?
As 10 principais informações passadas por ela são de um campo pouco explorado em pesquisas científicas, e vão desde o bizarro até o hilário. Confira:

Esta é uma das mais fascinantes conversas que você verá sobre o assunto. Portanto, vale a pena separar 15 minutos de seu tempo para assistir a essa palestra incrível de Mary Roach.

Fonte: http://misteriosdomundo.org/10-coisas-insanas-que-voce-nao-sabia-sobre-o-orgasmo/#ixzz3k9su5rFn

10 coisas que você não sabia sobre o orgasmo

sábado, 22 de agosto de 2015

OITO COISAS QUE VOCÊ DEVE EVITAR AO TOMAR BANHO JUNTO COM ELE(A)

Oito coisas que você deve evitar ao tomar banho junto com ele(a)

“Vamos tomar banho juntos?” Um dos momentos mais intensos entre duas pessoas é quando elas vão juntas para debaixo do chuveiro. Finalmente você e ele terão oportunidade de ver e sentir a nudez por inteira, conhecer um ao outro como poucos tiveram a oportunidade. Mas antes de se despir, você deve ter algumas coisas em mente. Veja a seguir oito coisas que a Cosmopolitan recomenda evitar quando você estiver tomando uma ducha com seu namorado, marido ou amante.

1. Não fazer Xixi
A menos que a pessoa esteja na pegada “faça xixi em mim”. Isso não é fofo ou engraçado, e provavelmente vai resultar em repreensão. Quem quer uma coisa dessas quando se está pelado e molhado?

2. Não monopolizar o chuveiro
Embora seja ridiculamente tentador, não se sinta dona da corrente de água. O melhor é dividir o chuveiro como se divide uma casquinha de sorvete, porque quem fica de fora é que sabe o quanto a coisa fica gelada! Brrr.

3. Não fique mapeando o corpo dele(a) com os olhos

Só porque você é louca por aquela pessoa com quem está tomando banho, isso não significa que está tudo bem em você ficar secando cada mínimo detalhe do corpo dela. Se você vai fitar o indivíduo, pelo menos dê um beijo para disfarçar, mas seja breve: beijar de olhos abertos já é estranho normalmente, então imagine durante o banho a dois.

4. Não solte gases
Gases não são bem vindos aqui. Se você soltar, terá que sair. De todos os lugares que você pode ser flatulento(a), este é pequeno demais para não ser rude. Adeus!

5. Não interfira no banho dele(a)
Sim, é supersexy, mas alguns de nós temos que realmente tomar um banho de verdade. Você pode dar um pause na pegação enquanto eu enxáguo minhas costas, tipo uns 30 segundos? Valeu.

6. Se forem transar, não deixe o sabonete entrar na vagina.
Não é brincadeira. Ela pode pegar dermatite de contato se for alérgica a qualquer ingrediente do sabonete, sofrendo coceiras e ardor – e pode até precisar de tratamento com pomada esteroide. Não vale a pena.

7. Não fique brava(o) se ele(a) não estiver a fim de transar

Tecnicamente, ele entrou no chuveiro para tomar um banho. Às vezes as coisas esquentam pra valer, mas em outras ocasiões o cara pode simplesmente querer lavar as axilas em paz. Respeite.

8. Água não é lubrificante
Você sabe disso, então nem pense em tentar.

Agosto 18, 2015

Fonte:https://br.vida-estilo.yahoo.com/post/126998584580/oito-coisas-que-voc%C3%AA-deve-evitar-ao-tomar-banho

A MULHER NO AMOR DEPOIS DOS 40

a mulher no amor depois dos 40

A Mulher no Amor Depois dos 40

“Quando uma mulher toma a decisão de abandonar o sofrimento, a mentira e a submissão. Quando uma mulher diz, do fundo do seu coração: ‘Chega, cheguei no meu limite. Nem mil exércitos de ego e nem todas as armadilhas de ilusão podem pará-la na busca de sua própria verdade.
Aí se abrem as portas de sua própria alma e se inicia o processo de cura. O processo que a devolverá gradualmente à si mesma, à sua vida real. E ninguém disse que este caminho é fácil, mas é “o Caminho”. Essa decisão em si, abre uma linha direta com a sua natureza selvagem e é aí que começa o verdadeiro milagre”.
Mulheres Que Correm Com os Lobos – Clarissa Pinkola-Estés.
A mente e a alma têm seus próprios ciclos e estações que recorrem a diferentes estados de atividade e solidão, de procura e encontro, de descanso, de pertença e até mesmo de desaparecimento.
“Quando uma mulher é madura, seus relacionamentos são diferentes. Até mesmo o relacionamento consigo mesma vai além.”
Vamos dizer que em torno dos 40 é quando a mulher sente uma necessidade que não pode deixar de atender: de voltar a si mesma. Este é o ponto emocional onde se aprende a cumprimentar as memórias em momento oportuno, a dançar e se acalmar com elas.
É o momento em que se ama com a alma, além dos erros. A partir desta idade, amando os vizinhos se descobre um coração sereno, com sangue quente que nos ajuda a compreender que tipo de criaturas que somos, com nossas forças e fraquezas. Porque todos nós as temos, e isso não é ruim, muito pelo contrário.
“Retornar à casa da alma significa tornar-se consciente de tudo o que aconteceu em nossa vida anterior e resolver esses conflitos criados nos ciclos anteriores.”

O amor maduro

“Amor maduro significa a união com a condição de preservar a própria integridade, a própria individualidade.” – Erich Fromm
Não é fácil amadurecer no amor, mas uma vez que você permitir, um grande amor nasce dentro de si mesma baseado em dignidade e respeito.
Uma mulher madura está além de sua capacidade de amar, quando entende que o verdadeiro significado dos sentimentos dos outros é resumido na forma como vê a si mesma e suas mudanças.
Ao longo do tempo, o mundo feminino irradia uma pureza que está ameaçada por uma sociedade corrupta que o faz correr para encontrar abrigo em si mesmo.
Em seguida, elas percebem que suas verdadeiras casas não estão em qualquer lugar remoto do mundo, mas dentro de si. De alguma forma, o amor maduro é o resultado de um processo de individuação que pode ser muito doloroso.
Seja através de ingenuidade, por não prestar atenção ou ignorância, o processo de amadurecimento nos fez sofrer o roubo de uma pele que nos envolvia, que pensávamos que era nossa e na qual nos agarrávamos com força.
“Este sofrimento pela perda de sua pele faz com que as mulheres vivam por um tempo incompletas, o que ajuda a fortalecer seu verdadeiro revestimento emocional.”
Como resultado, a mulher atinge a grande sabedoria que a faz viver e amar de maneira diferente, única e transcendente. De alguma forma, ela é capaz de hidratar e reconstruir-se, sentindo-se inteiramente abrangida.
Como se costuma dizer, toda mulher incentiva uma vida secreta e uma poderosa força cheia de bons instintos, criatividade e sabedoria que detém o grande poder de território inexplorado: o maravilhoso mundo da psicologia feminina.

Traduzido pela equipe de O Segredo
Fonte: La Mente es Maravillosa

a mulher no amor depois dos 40

FAZ O QUE QUISER COM A MINHA VIDA



Faz o Que Quiser Com a Minha Vida


Me tira do tédio, me enche o estômago de borboleta, me obriga a te amar. Chega de surpresa, faz estrondo na minha porta até a campainha queimar. Grita com o porteiro, com a síndica, entra à força e começa a cantar. Traz um violão, canta na minha janela e teima comigo até eu te deixar entrar.
Diz que me ama e que não vai embora sem me beijar. Faz chover lá fora e me tira pra dançar. Inventa uma música pra nós dois, começa a assoviar. Me olha no olho, me tira o sapato, me faz suspirar. Grita pra todo mundo ouvir na rua que de hoje em diante vamos viver de amar. Escreve declaração sem nexo, mas cheio de poesia no pensar.
Me beija e abraça forte, me faz morrer de tanto te desejar. Beija meu pescoço, arrepia a pele e enche a mão com o meu peito, só pra provocar. Me deixa implorando de vontade e depois transa comigo a noite inteira, daquele jeito que faz até a vizinhança acordar. Me dá carinho, tapa e mordida, desses que eu nem precise fechar os olhos no dia seguinte para recordar. Me faz gemer, gemer e gozar. Aí, espera o sol nascer devagarinho, só pra gente poder se entrelaçar. Me faz te chamar de maluco e me enche de história romântica e tarada pra contar.
Liga pro meu pai de madrugada e diz que quer me namorar. Depois manda 24 buquês de rosas e diz que quer casar. Me leva pra Las Vegas, usa calça jeans e diz “sim” cheio de lágrima no olhar. Faz um filho, compra um cachorro e diz que é só o começo dos sonhos que temos pra sonhar. Escreve um livro, dizendo que amor verdadeiro existe, e que tem a nossa história pra provar. Se emociona comigo a vida toda e com 80 anos, ainda jura que vai me amar. Aliás, fica velho comigo, até meu coração parar.
Pega a minha vida mais a sua e transforma em nossa, só pra variar.
Comece hoje, e por favor não deixe nunca mais de me amar?

Por Amanda Armelin – Via Entre Todas as Coisas

quinta-feira, 20 de agosto de 2015

O AMOR SEM CONDIÇÃO : O AMOR INCONDICIONAL É COMO O AMOR MATERNO,ACEITA QUALQUER DESAFORO


O Amor Sem Condição

Lusa Silvestre

28 julho 2015 | 11:29

O Amor Incondicional é como o amor materno,aceita qualquer desaforo.


O amor é um vírus complexo. Quando você começa a entender o bicho, ele muda de forma. Vai da paixão ao ódio em questão de 24 horas. O tempo de um sábado. Além desse poder individual, considere que são bilhões de tipos de amores e taras e obsessões diferentes. Ou seja: além do amor ser mutante, ainda por cima ele ataca de turma. Quase filme de zumbi. É inacreditável que a gente sobreviva.

Dentre todos os amores que existem, destaco um:  o Amor Incondicional. Ou Amor que Engole Sapo. Ou, ainda, Amor que Leva Desaforo Pra Casa. É o amor que releva tudo. Resumindo a descrição do caso: independentemente do que acontecer na relação (pisadas, brigas, traições), o amor sobrevive. É normalmente associado à mães. Porque elas sempre amam os filhos, em qualquer circunstância. O rebento pode roubar, pode se alistar na Al Qaeda, pode torrar a grana da família pra mudar de sexo, pode virar deputado – que tudo bem; a mãe vai continuar amando seu nenê do mesmo jeito. É uma praga que elas aceitam felizes, padecendo no paraíso.

Mas acontece que, às vezes, a maldição do Amor Incondicional cai na cabeça de pessoas normais mesmo. Pessoas sem o poder supremo da maternidade. Gente do bem, como eu e você.

Funciona assim: você conhece uma pessoa e se encanta a ponto de topar qualquer coisa pra ficar com ela. Então, esta pessoa pode fazer o que bem quiser que a paixão continua viva. Eita, pode xingar, pode falar que vai te encontrar às nove e nunca aparecer, pode expôr suas segredâncias na frente de todo mundo – que tudo bem, também. Você chora, mas continua amando. É igual cocaína: você sabe que vai te levar pra cova, mas não consegue parar.

Tem um lado bom: o sofrimento é excelente combustível para a arte. Se você for pintor, saia desenhando. Se você for do Cirque du Soleil, saia dando cambalhotas. Se você for poeta… melhor escrever sambas. Pelo menos dá dinheiro; todo mundo gosta de um batuque doído. Chico Buarque troca de carro todo ano nessa onda aí.

Quem sofre de Amor Incondicional vai se adaptando. Vai formando calo na aorta. As pisadas na bola não fazem mais tanto efeito. Apareceu bêbado e atrasado ? Tudo bem; pelo menos veio. É o que os psicólogos chamam de “resiliência” – a capacidade de superar dificuldades. Lutadores de MMA rotulam de outro jeito: “poder de encaixe”. Os amigos preferem ainda um terceiro nome: “burrice”. Acontece com ambos os sexos; fazer a outra pessoa sofrer não é algo exclusivo do cromossomo Y.

Só existe uma maneira de se curar do Amor Que Pisa na Bola. Só existe um antídoto: o Amor Próprio. A saída é perceber que você não merece isso. Que arranja coisa melhor. Que encheu. No fim, é quase como uma alforria. Você se sente libertando Paris dos nazistas. Porque, como bem disse Vinícius, chega uma hora que a paciência estoura e até o perdão cansa de perdoar.

Fonte:http://vida-estilo.estadao.com.br/blogs/xavecos-e-milongas/o-amor-sem-condicao/

QUANDO A GENTE ENCONTRA A PESSOA CERTA

quando a gente encontra a pessoa certa

QUANDO A GENTE ENCONTRA A PESSOA CERTA
Duas coisas justificam textos clichês: o amor que dá certo e o amor que dá errado.
O primeiro é uma incerteza para a maioria de nós, o que torna o segundo mais humano e real.
Eu, que sempre tive a insegurança saltando pelos poros e uma carência gigantesca nas costas, nunca botei fé nesse lance de amor que dá certo.
Depois de certo ponto – e de tantas experiências que passaram do ponto – a gente passa a confundir “dar certo” com “dar para a pessoa certa”.
Frio? Não. Real.
É muito mais fácil acreditar no que a gente vê e eu demorei muito para ver luzes piscando e sinos tocando.
Sentir frio na barriga no primeiro encontro é fácil, quero ver manter as borboletas vivas e em pleno voo no 568º jantar.
O fato é que a espera valeu a pena. Sempre vale.
Às vezes tenho a sensação de ter esperado duas vidas e meia, mas valeu cada fora, cada pé na bunda, cada cara que não era o cara e que eu insistia em ver com óculos de papel celofane.
A pessoa certa nunca vai preencher os requisitos que a gente sempre viu como essenciais. A pessoa certa nem sempre dirá a frase perfeita, enquanto joga o cabelo pro lado e abre aquele sorriso.
A pessoa certa é real, tão real quanto você e seu baú de passados mal resolvidos, experiências, frustrações e boas histórias para contar.
Esqueça o felizes para sempre. O amor que dá certo é de verdade e pode durar um mês ou uma vida inteira.

Escrito por Flávia Queiroz – Via Entre Todas as Coisas

Fonte:http://thesecret.tv.br/2015/08/quando-a-gente-encontra-a-pessoa-certa/

quando a gente encontra a pessoa certa