sexta-feira, 18 de abril de 2014

CIRCUNCISÃO - PRÓS E CONTRAS - BENEFÍCIOS SUPERAM OS RISCOS SEGUNDO CIENTISTAS

Fonte: Think Stock

Circuncisão: benefícios superam os riscos, garantem cientistas


Uma revisão de diversos estudos feitos até hoje sobre a circuncisão descobriu que os benefícios do procedimento feito em recém-nascidos supera “e muito” os riscos envolvidos na cirurgia.

Fonte: We Heart It

A pesquisa, publicada pela Mayo Clinic Proceedings, revelou que enquanto o número de homens americanos circuncidados entre 14 e 59 anos cresceu de 79% para 81%, a taxa de bebês operados caiu seis pontos percentuais para 77%. Esta taxa se mantinha inalterada desde os anos 1960.
Os autores concluíram que os benefícios — entre eles, queda nos riscos de infecção urinária, câncer de próstata, doenças sexualmente trasmissíveis e, em mulheres, câncer cervical — superam os riscos de infecção local ou sangramento. Diversos trabalhos anteriores, incluíndo dois experimentos clínicos randômicos, revelaram a ausência de qualquer efeito colateral da circuncisão no desempenho sexual ou prazer.
Apesar da decisão estar tipicamente nas mãos dos pais, ela custa caro — e muita gente importante já percebeu isso. Segundo um artigo publicado pelo The New York Times, as complicações associadas a indivíduos que não foram circuncidados pode sair caro nos próximos 10 anos de nascimentos: 4,4 bilhões de dólares.
A análise de custo-benefício mostrou que os custos diretos com infecções urinárias e doenças sexualmente transmissiveis tornam a “circuncisão masculina, em princípio, equivalente à vacinação em crianças”, afirmou Brian J. Morris, autor do estudo e professor de ciências médicas da Universidade de Sydney. “Assim como há pessoas que se opõe às vacinas, há os que se opõe à circuncisão. No entanto, seus argumentos são opinativos e geralmente não têm base científica, então não devem ser considerados”, conclui o especialista.

Fonte:https://br.mulher.yahoo.com/blogs/sexo-oposto/

Conheça os prós e contras da circuncisão

Quando feita na vida adulta, pode gerar reclamações de disfunção erétil e ejaculação retardada.

A circuncisão ou postectomia é um procedimento cirúrgico que consiste na retirada do prepúcio, prega de pele que recobre o pênis. Trata-se de um procedimento ambulatorial que pode ser realizado apenas com anestesia local ou associado com uma sedação. Através de técnicas diferentes o tecido do prepúcio é removido e é realizada uma sutura circular entre a pele e a mucosa remanescente. Em crianças de baixa idade, os dispositivos plásticos (que dispensam a necessidade de suturas) podem ser utilizados para a diminuição do tempo cirúrgico e maior praticidade do procedimento, porém alguns cirurgiões preferem os resultados estéticos das intervenções clássicas, com a ressecção e sutura. Apesar de ser um procedimento simples, deve ser sempre realizado por um médico habilitado e com experiência na técnica, geralmente cirurgiões com formação em Urologia ou Cirurgia Pediátrica. 
Um procedimento inadequado pode estar associado a resultados estéticos insatisfatórios ou mesmo com complicações mais graves como amputações parciais da glande e lesões na uretra. Pela exposição da glande ao contato com curativos e roupas, alguns pacientes podem sentir uma aumento da sensibilidade local e desconforto no pós-operatório da postectomia, principalmente quando havia no pré-operatório uma ausência completa da sua exposição. Este desconforto tende a melhorar e desaparecer com o passar dos dias e semanas. 
A circuncisão é realizada frequentemente por motivos religiosos, principalmente entre judeus e muçulmanos. As indicações médicas estão em geral associadas à impossibilidade ou dificuldade de exposição da glande (fimose). Em crianças a fimose pode causar dificuldade de micção (jato fino e doloroso), infecções urinárias e infecções locais por fungos. É importante salientar que uma parte substancial de crianças que nascem com fimose, irão apresentar uma resolução espontânea (sem cirurgia) até os 3 a 4 anos de vida. Ainda neste grupo é possível a melhora com a utilização de medicações tópicas que favorecem o descolamento do prepúcio. 

Repercussões sexuais

Apesar de ser um procedimento usualmente realizado na população masculina, existem alguns relatos na literatura médica de insatisfações dos pacientes sobre os resultados da cirurgia do ponto de vista estético e da qualidade da ereção e da ejaculação. Apesar de poucos estudos na literatura apontarem para estes resultados insatisfatórios, é possível observar na prática urológica, pacientes que apresentam queixas de disfunção erétil ou retardo na ejaculação, associados com a cirurgia. Muitas destas queixas podem estar diretamente associadas a condições de origem psicológica e também a um incompleto entendimento do paciente ao procedimento que está sendo realizado e suas expectativas.
Quando a circuncisão é realizada dentro de uma indicação médica precisa, com uma completa discussão com o paciente sobre resultados e possíveis complicações (que são mínimas quando o procedimento é realizado por um profissional experiente) a circuncisão é um excelente procedimento. 
Em adultos a dificuldade de exposição da glande pode estar associada a desconforto durante o ato sexual, inclusive com traumatismo local, bem como infecções fúngicas locais. Muitos homens apresentam uma exposição completa da glande, que pode estar parcialmente ou totalmente recoberta pelo prepúcio, sem qualquer tipo de queixa e neste caso não há indicação de qualquer tipo de procedimento cirúrgico do ponto de vista médico. A postectomia não deve ser realizada com o intuito de diminuir a sensibilidade da glande em pacientes com queixas de ejaculação retrógrada, pois sabemos que esta patologia é mediada ao nível do sistema nervoso central e que procedimentos cirúrgicos locais em geral não terão efeitos. 

Saúde blindada

Alguns estudos demonstraram que a realização da postectomia, em populações de alto risco, pode reduzir o risco de transmissão do vírus HIV, oferecendo uma proteção parcial. Porém é importante salientar que o estudo foi feito em populações africanas de alto risco e de forma alguma pode substituir as formas clássicas de prevenção em nosso meio, como o uso regular de preservativos. A circuncisão também oferece um papel protetor sobre o câncer de pênis, doença prevalente em populações com baixa condição sócio-econômica e com baixos níveis de higiene. A adequada higiene corporal e limpeza peniana com água e sabão também oferecem um papel de proteção para este tipo de câncer, sem a necessidade de realização de cirurgia. 

Escrito por: André Cavalcanti
Urologia

Circuncisão reduz risco de HPV e câncer de colo de útero nas mulheres

A circuncisão também pode diminuir o risco de HIV e de outras doenças sexuais

Um novo estudo, publicado no The Lancet, mostra que a circuncisão pode reduzir risco de câncer de colo de útero em mulheres. A pesquisa envolveu mais de 1.200 casais heterossexuais HIV-negativos, que vivem em Uganda, na África, onde a circuncisão de homens adultos é cada vez mais incentivada como forma de prevenir a propagação do vírus da Aids.

Para realizar os testes, metade dos homens recebeu o procedimento cirúrgico no ato da inscrição e a outra metade teve a circuncisão agendada para após a participação na pesquisa. Dois anos depois, as parceiras dos homens circuncisados estavam 28% menos propensas a serem infectadas com o vírus do papiloma humano (HPV) do que as parceiras dos homens não circuncisados. O motivo da redução dos riscos está vinculado a redução do transporte de HPV pela região peniana. Isso porque, o prepúcio do pênis, que é removido durante a circuncisão, é rico em células que são particularmente mais suscetíveis para o vírus se instalar e sua remoção, portanto, dificultaria a contaminação.

O HPV é uma doença sexualmente transmissível (DST), considerada é um dos principais fatores de risco para o desenvolvimento do câncer de colo de útero. Em estudos anteriores, os pesquisadores da Universidade Johns Hopkins mostraram que a circuncisão masculina reduz a infecção por HIV, HPV em homens, e herpes genital.  
O prepúcio do pênis, que é removido durante a circuncisão, é rico em células que são particularmente mais suscetíveis para o vírus
Prevenção

O câncer de colo de útero é o único tipo de câncer que tem um começo, meio e fim delimitado. "Ele demora em média de 5 a 10 anos para se desenvolver do primeiro estágio ao mais grave", explica o ginecologista Wagner José. Algumas medidas simples poderiam evitar a doença. São elas:

-Fazer o exame de papanicolau. O exame ainda é o mais eficiente método de detecção da doença. "Apenas 19% das brasileiras fazem o exame e boa parte da população desconhece sua importância", alerta o ginecologista da Unifesp.

De acordo com ele, não é necessário fazer o exame todos os anos, afinal, o tempo de manifestação da doença vai de 5 a 10 anos. "Para quem começou sua vida sexual agora, é recomendado fazer uma vez por ano, mas se você fez o exame por três anos consecutivos e não apresentou alterações, não precisa fazer anualmente. Basta fazê-lo uma vez a cada dois anos", continua.  
Para quem já teve o HPV Não há cura para o HPV. "É o sistema imunológico da mulher que se encarrega de expulsar o vírus", explica Wagner. Por isso Wagner recomenda:

- Tenha boas noites de sono. "O sono fortalece o sistema imunológico e faz com que tenhamos mais força para reagir a "agentes intrusos" como o vírus do HPV", explica o ginecologista.

- Evite o fumo. "O cigarro agrava e muito o problema por enfraquecer o sistema imunológico", diz o ginecologista.

- Dispensar a calcinha de vez em quando: para dormir, por exemplo. "Deixar as partes íntimas arejadas ajuda a evitar a propagação do HPV", explica Wagner.  

Circuncisão pode ter impacto limitado na prevenção da Aids

Estudo diz que circuncisão em homossexuais traz poucas vantagens

A circuncisão em adultos tem sido proposta como uma possível estratégia de prevenção da Aids para homossexuais, mas um novo estudo da Universidade de Pittsburgh, nos Estados Unidos, sugere que a medida teria um pequeno efeito na redução da incidência do HIV. Os resultados foram apresentados essa semana na 18° Conferência Internacional da AIDS, realizada essa semana em Viena, na Áustria.

Estudos anteriores concluíram que, em homens saudáveis, o procedimento reduz de 60% a 50% as chances de eles serem contaminados pelo vírus. Isso porque, o prepúcio do pênis, que é removido durante a circuncisão, é rico em células que são particularmente mais suscetíveis para o vírus se instalar e sua remoção, portanto, dificultaria a contaminação. Tais levantamentos levaram a Organização Mundial de Saúde (OMS) a recomendar a técnica como parte da estratégia de prevenção da Aids.

O estudo foi baseado em exames de 521 homens homossexuais e bissexuais em São Francisco. Os resultados indicaram que 115 homens (21%) eram HIV - positivos e 327 (63%) tinham sido circuncidados. Dos restantes 69 homens (13%), apenas quatro (0,7%) estavam dispostos a fazer a circuncisão se fosse provado seguro e eficaz na prevenção do HIV. Quando as análises foram ampliadas para toda a população homossexual e bissexual de São Francisco, cerca de 65.700 pessoas, os pesquisadores notaram que apenas 500 homens tiveram potenciais benefícios da circuncisão. Assim, observou-se que somente a circuncisão não garante uma medida eficaz na prevenção do HIV.  

Circuncisão de homens com HIV

Uma outra pesquisa realizada em Uganda, na África, aponta que a circuncisão de homens infectados com o vírus HIV, causador da Aids, não reduz o risco de transmissão para as suas parceiras sexuais. Publicado na revista britânica The Lancet, no ano passado, o estudo avaliou mais de 900 homens inicialmente não circuncidados, portadores de HIV, na faixa etária de 15 a 49 anos.

Durante as análises, alguns participantes foram imediatamente circuncidados e outros tiveram o procedimento adiado por dois anos. Mais de 160 parceiras sexuais dos voluntários também foram acompanhadas. A pesquisa concluiu, que após 24 meses, a circuncisão nos homens infectados não evitou a transmissão de HIV e nem de outras doenças sexualmente transmissíveis (DST) para as parceiras.

Entretanto, de acordo com os cientistas, a eficácia da circuncisão masculina na prevenção de HIV em homens não infectados é um fato, e essa menor propensão acabaria beneficiando as suas parceiras sexuais, que ficariam menos expostas ao vírus. Mesmo assim, os pesquisadores alertam que o uso de preservativo é essencial para evitar a transmissão de HIV, apesar da circuncisão.

Circuncisão de homens com HIV não protege mulheres da Aids

Nos homens não infectados, procedimento reduz risco de contaminação em até 60%.


Uma pesquisa realizada em Uganda, na África, aponta que a circuncisão de homens infectados com o vírus HIV, causador da Aids, não reduz o risco de transmissão para as suas parceiras sexuais.

Estudos anteriores concluíram que, em homens saudáveis, o procedimento reduz de 60% a 50% as chances de eles serem contaminados pelo vírus. Isso porque, o prepúcio do pênis, que é removido durante a circuncisão, é rico em células que são particularmente mais suscetíveis para o vírus se instalar e sua remoção, portanto, dificultaria a contaminação. Tais levantamentos levaram a Organização Mundial de Saúde (OMS) a recomendar a técnica como parte da estratégia de prevenção da Aids.

Publicado na revista britânica "The Lancet", o estudo avaliou mais de 900 homens inicialmente não circuncidados, portadores de HIV, na faixa etária de 15 a 49 anos. Durante as análises, alguns participantes foram imediatamente circuncidados e outros tiveram o procedimento adiado por dois anos. Mais de 160 parceiras sexuais dos voluntários também foram acompanhadas. A pesquisa concluiu, que após 24 meses, a circuncisão nos homens infectados não evitou a transmissão de HIV e nem de outras doenças sexualmente transmissíveis (DST) para as parceiras.

Entretanto, de acordo com os cientistas, a eficácia da circuncisão masculina na prevenção de HIV em homens não infectados é um fato, e essa menor propensão acabaria beneficiando as suas parceiras sexuais, que ficariam menos expostas ao vírus. Mesmo assim, os pesquisadores alertam que o uso de preservativo é essencial para evitar a transmissão de HIV, apesar da circuncisão.

Fonte:http://yahoo.minhavida.com.br/temas/


domingo, 30 de março de 2014

PEQUENAS LECCIONES DE EROTISMO - GIOCONDA BELLI






Pequeñas lecciones de erotismo



Recorrer un cuerpo en su extensión de vela ...
es dar la vuelta al mundo
atravesar sin brújula la rosa de los vientos
islas golfos penínsulas diques de aguas embravecidas.
No es tarea fácil - si placentera -
No creas hacerlo en un día o noche de sábanas explayadas
hay secretos en los poros para llenar muchas lunas.

II

El cuerpo es carta astral en lenguaje cifrado.
Encuentras un astro y quizá deberás empezar
corregir el rumbo cuando nube huracán o aullido
profundo
te pongan estremecimientos ,
cuenco de la mano que no sospechaste.

III

Repasa muchas veces una extensión ;
encuentra el lago de los nenúfares ,
acaricia con tu ancla el centro del lirio .
Sumérgete ahógate distiéndete
no te niegues el olor la sal el azúcar .
Los vientos profundos cúmulos nimbus de los pulmones
niebla en el cerebro
temblor de las piernas
maremoto adormecido de los besos.

IV

Instálate en el humus sin miedo al desgaste sin prisa
no quieras alcanzar la cima .
Retrasa la puerta del paraíso
acuna tu ángel caído revuélvele la espesa cabellera con la
espada de fuego usurpada
muerde la manzana.

V

Huele
duele
intercambia miradas saliva imprégnate
da vueltas imprime sollozos piel que se escurre
pie hallazgo al final de la pierna
persíguelo busca secreto del paso forma del talón
arco del andar bahías formando arqueado caminar
gústalos.

VI

Escucha caracola del oído
como gime la humedad
lóbulo que se acerca al labio sonido de la respiración .
Poros que se alzan formando diminutas montañas
sensación estremecida de piel insurrecta al tacto
suave puente nuca desciende al mar pecho
marea del corazón susúrrale
encuentra la gruta del agua.

VII

Traspasa la tierra del fuego la buena esperanza
navega loco en la juntura de los océanos
cruza las algas ármate de corales ulula gime
emerge con la rama de olivo llora socavando ternuras ocultas
desnuda miradas de asombro
despeña el sextante desde lo alto de la pestaña
arquea las cejas abre ventanas de la nariz.

VIII

Aspira suspira
muérete un poco
dulce lentamente muérete
agoniza contra la pupila extiende el goce
dobla el mástil hincha las velas
navega dobla hacia Venus
estrella de la mañana
- el mar como un vasto cristal azogado -
duérmete náufrago.

Gioconda Belli

Pequenas lições de erotismo, em que tomo um corpo sua extensão de vela é dar ao redor do mundo para percorrer, sem bússola, ilhas e penínsulas golfos rosa diques de águas turbulentas.
Não é tarefa fácil - se agradável - não acredito que fazendo assim em um dia ou a noite de explayadas folhas de lá são segredos nos poros para preencher muitas luas.

II o corpo é o gráfico em linguagem codificada.
Você encontrar uma estrela, e talvez você terá que começar a curso correto, quando o furacão de nuvem ou profundo uivo você colocar estremece, tigela na mão que você não sospechaste.

III revisto muitas vezes uma extensão;
É o lago de Nenúfares, Pat com sua âncora do centro do lírio.
Mergulho afogamento relaxar não reter o açúcar sal cheiro.
Ventos nimbus de Cumulus profundas das pernas de pulmões beijando adormecido tsunami terremoto cérebro nevoeiro.

IV assentar em húmus, sem medo de usar sem pressa não quer chegar ao topo.
Atraso da porta do paraíso embala seu rebuliço de anjo caído pêlos grossos com a espada de fogo usurparam a morder a maçã.

V cheira olhares dói trocadas saliva submergir-se curvas impressões soluços pele que você encontrar no final da perseguição a pé a perna que pretende passar a forma secreta calcanhar baías do arco do pé formando arqueado andando como eles.

VI escuta orelha concha como lobo de umidade gemidos aproximando-se o som do lábio da respiração.
Poros formando pequenas montanhas a subir pele toque suave sensação abalada ponte insurgente pescoço desce para a peito do mar maré de coração sussurram que você encontrar água da gruta.

Cruzes VII a tierra del fuego boa esperança louca de vela na junção dos oceanos cruza algas braço se com gemidos ulula coral emerge com o ramo de Oliveira chora minar parece nua de ternura escondida de espanto, precipitando o sextante da parte superior da guia arcos sobrancelhas Abram as narinas.

VIII aspira suspiros morrer um pouco morrer doce morrendo lentamente contra o aluno estende o gozo leque mastro velas velas dobrar em direção a estrela da manhã de Venus - o mar como um vasto seu cristal - náufrago adormecido.

Gioconda Belli (Traduzido por Bing)

quinta-feira, 27 de março de 2014

CAMISINHA FEITA DE BOI ? SIM,ESSA É UMA VERSÃO QUE PODE VIR POR AÍ

Camisinha (Foto: Thinkstock)

Camisinha feita de boi? Sim, essa é uma versão que pode vir por aí

Bill Gates está investindo em (pasme!) camisinha. E com novas curiosíssimas versões sendo criadas fomos saber o que nossa sexpert, Lasciva tem a dizer.

Bill Gates (sim o multimilionário fundador da Microsoft) está investindo em camisinhas. Ok, por essa a gente não esperava, mas não é que a ideia dele é ótima? Explicamos melhor: os preservativos criados por ele surgem com o ótimo objetivo de acabar com as desculpas masculinas para não usar a proteção da hora H. Ou seja, se tudo der certo acabou aquela história de "mas a camisinha não se encaixa direito no meu pênis" ou "diminui a sensibilidade" ou ainda "é tão brochante parar tudo para colocar um preservativo".
  
Por enquanto as camisinhas ainda estão sendo desenvolvidas pelos felizardos cientistas escolhidos pelo milionário que receberam 100 mil dólares para criarem seus protótipos. Mas, antes mesmo que elas se tornem realidade fomos saber da sexpert Lasciva o que ela tem a dizer sobre algumas versões desses possíveis preservativos.

Revestida de água

Entre uma partícula e outra de látex coloca-se uma fina camada de água por fora do preservativo. Isso reduz a fricção e aumenta o conforto. "Acho que essa deve deslizar supergostoso. Deu vontade de testar, afinal, quando mais molhadinha, melhor!".

Com aplicador

Pra facilitar na hora de revestir o dito cujo, bastará rasgar o recipiente e usar as abas laterais para colocar o preservativo em 3 segundos. "Já testei um preservativo de rápida aplicação e realmente ajuda muito. Resta saber se o material do produto é bom, porque as versões que já existem parecem plástico PVC e fazem barulho durante o sexo".

De grafeno

Esse material derivado do grafiti é ultraflexível, superleve e mais resistente que o aço. Misturado ao látex cria preservativos finos, duráveis e que conduzem calor com eficiência. "Essa versão parece bem objetiva. Acho ótima que alguém tenha pensado nisso porque algumas chegam a irritar a pele com toda aquela fricção que rola durante o sexo".

De colágeno

O colágeno de tendões bovinos darão origem a essa versão do preservativo. Ele garante uma textura hidratada e pouco áspera que pode resultar em uma experiência bem mais agradável. "Tomara que essa funcione bem e seja uma boa alternativa para quem tem alergia a látex (muito comum). Imagino que a textura seja mais suave e até o gosto seja melhor".

E aí, qual dessas opções você quer experimentar e está torcendo para chegar ao mercado?

Bill Gates pretende investir US$ 100 mil em camisinha do futuro

O empresário - quem diria! - vai investir em preservativos. A ideia é que eles mantenham e até aumentem a sensação de prazer. Será?

Se depender de Bill Gates, uma nova geração de camisinhas vêm por aí! Sim, você não leu errado, é mesmo o empresário americano que anunciou o investimento de US$ 100 mil para aprimorar a tão popular camisinha. “Estamos procurando a nova geração do produto que preserve ou até aumente o prazer para incentivar a adoção e o uso regular da camisinha nas relações”, disse a fundação Bill e Melinda Gates.
camisinha (Foto: Shutterstock)
Camisinha feminina (Foto: Shutterstock)

As melhorias valem para o preservativo em versão feminina e masculina e o principal objetivo é mesmo acabar com aquela velha reclamação de que eles diminuem o prazer. Será o fim das desculpas esfarrapadas para não se proteger?
Participe
Se você não botou muita fé nas boas intenções de Bill Gates, vale lembrar que ideias e sugestões são bem-vindas e as 10 melhores propostas serão premiadas! Então, se souber uma forma de fazer uma revolução sexual, inovando a história das camisinhas, liga lá pro senhor Gates e manda bala, ainda vai poder levantar uma grana!

Fone:http://revistaglamour.globo.com/Amor-Sexo/noticia/2013/03/camisinha-do-futuro-elas-prometem-manter-e-ate-aumentar-o-prazer.html

UM TERÇO DOS JOVENS DE 14 A 25 ANOS,NUNCA USA CAMISINHA EM SUAS RELAÇÕES SEXUAIS



Um terço dos jovens de 14 a 25 nunca usa camisinha em suas relações sexuais, aponta levantamento feito por pesquisadores da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) divulgado nesta quarta-feira, 26. Com 1.742 entrevistados, a pesquisa investigou o comportamento dos jovens brasileiros com relação ao uso de álcool e drogas, vida sexual e cuidados com a saúde física.



Segundo os pesquisadores, a falta de prevenção no sexo leva a outros dados preocupantes: 32% das jovens entre 14 e 20 anos já engravidaram ao menos uma vez. Desse total, 12,4% tiveram aborto espontâneo ou provocado. "Pelas estatísticas que temos de aborto natural, acreditamos que 8% das meninas tiveram abortos provocados, muitas vezes feitos em clínicas clandestinas, que colocam as garotas em risco", afirma Clarice Sandi Madruga, uma das pesquisadoras responsáveis pelo estudo.
Outro dado que surpreendeu os especialistas foi o alto índice de jovens sedentários. A pesquisa mostra que 79% dos entrevistados não pratica atividade física frequentemente e 57% não faz nem sequer exercícios leves, como jogar futebol ou andar de bicicleta eventualmente. "Não esperávamos esses dados para jovens. O maior acesso a computador, smartphone, videogame pode estar vinculado com esse índice", afirma Ilana Pinsky, outra pesquisadora envolvida no estudo.
Álcool e drogas. Os pesquisadores também observaram comportamentos de risco relacionados ao uso de álcool e drogas. Metade dos jovens bebe e um quarto deles disse já ter dirigido alcoolizado pelo menos uma vez no último ano.
Entre os jovens que consomem álcool, um terço bebe abusivamente semanalmente. O consumo abusivo ocorre quando a pessoa ingere quatro ou cinco doses em um período de duas horas.
Entre as drogas ilícitas, a maconha é a mais consumida entre os jovens. Cerca de 8% dos entrevistados declararam ter fumado o entorpecente pelo menos uma vez no último ano. Em seguida, aparece a cocaína, com 4,8% de prevalência.
Meninas. Alguns indicadores de comportamento de risco tiveram piores resultados entre as meninas e mulheres entrevistadas. No caso do uso da camisinha, 38% das jovens disseram nunca usar, contra 29% dos entrevistados. Na pergunta sobre o sedentarismo, o índice de jovens sedentárias é quase 15 pontos porcentuais superiores ao dos homens.
Embora o índice de mulheres que dirigem alcoolizadas seja baixo (3,8%), quase um terço delas diz andar em veículos conduzidos por motoristas bêbados.


Outro dado que surpreendeu os especialistas foi o alto índice de jovens sedentários. A pesquisa mostra que 79% dos entrevistados não pratica atividade física frequentemente e 57% não faz nem sequer exercícios leves, como jogar futebol ou andar de bicicleta eventualmente. "Não esperávamos esses dados para jovens. O maior acesso a computador, smartphone, videogame pode estar vinculado com esse índice", afirma Ilana Pinsky, outra pesquisadora envolvida no estudo.
Álcool e drogas. Os pesquisadores também observaram comportamentos de risco relacionados ao uso de álcool e drogas. Metade dos jovens bebe e um quarto deles disse já ter dirigido alcoolizado pelo menos uma vez no último ano.
Entre os jovens que consomem álcool, um terço bebe abusivamente semanalmente. O consumo abusivo ocorre quando a pessoa ingere quatro ou cinco doses em um período de duas horas.
Entre as drogas ilícitas, a maconha é a mais consumida entre os jovens. Cerca de 8% dos entrevistados declararam ter fumado o entorpecente pelo menos uma vez no último ano. Em seguida, aparece a cocaína, com 4,8% de prevalência.
Meninas. Alguns indicadores de comportamento de risco tiveram piores resultados entre as meninas e mulheres entrevistadas. No caso do uso da camisinha, 38% das jovens disseram nunca usar, contra 29% dos entrevistados. Na pergunta sobre o sedentarismo, o índice de jovens sedentárias é quase 15 pontos porcentuais superiores ao dos homens.
Embora o índice de mulheres que dirigem alcoolizadas seja baixo (3,8%), quase um terço delas diz andar em veículos conduzidos por motoristas bêbados.

Fonte:ESTADÃO.COM.BR

CAMISINHA : TEM QUE USAR,MAS MUITA GENTE BOA POR AÍ NÃO USA

E você, usa camisinha ou não? (Foto: Thinkstock)

Camisinha: tem que usar, mas muita gente boa por aí não usa

Gente esclarecida, bacana. Gente que tem medo de quebrar o clima, de perder o cara. Gente que não tem medo de engravidar (“Pílula do dia seguinte, dã!”) ou de contrair doenças como a Aids (“Ninguém mais morre disso”). Gente que conta como pensa a seguir.

Responda rápido: você transa de camisinha? Sempre e só de camisinha? E se ele nem fizer menção de usar, você pede? Mas e se ele achar que você está insinuando que ele tem uma doença? Pior: e se ele achar que você tem alguma doença? E, vem cá, se ele pedir com jeitinho, você abre mão? 

E se, e se, e se...? São tantas as emoções quando o assunto é usar ou não usar, pedir ou não pedir, correr risco ou não correr... Engraçado que esse tipo de dúvida não existia para os jovens com vida sexualmente ativa no início dos anos 90. Morrer de Aids era algo muito próximo. As pessoas tinham acabado de acompanhar um dos maiores ídolos do País, o cantor Cazuza, definhar em rede nacional. Também não existia pílula do dia seguinte, e nem a cura rápida para as doenças sexualmente transmissíveis (DSTs). Trocando em miúdos: naquela época, o medo era maior que o suposto aumento no prazer e que o receio de encher a boca e dizer: “Ou você coloca a camisinha ou a gente não vai transar”. 

Hoje, porém, os avanços da medicina trouxeram um ônus. Transar com camisinha passou de regra a exceção. “As pessoas falam que usam porque é politicamente correto, mas eu garanto que nem eu, nem nenhuma das minhas amigas usa ou pede para ele usar se for um cara legal,
conhecido”, diz uma leitora que prefere não se identificar. Uma pesquisa feita em nosso site com 289 mulheres endossa a frase acima: 57% das que responderam à enquete disseram que eventualmente usam, mas que transar sem camisinha é o padrão normal delas e de suas amigas.

Morrer de Aids: sooo 80´s!

Felizmente, os tratamentos contra o HIV evoluíram – e as outras DSTs, como HPV e sífilis, têm cura. Tanto que a preocupação número um de 44,6% das leitoras que responderam nossa enquete não é ficar doente, e sim engravidar. A ginecologista Carolina Ambrogini, da Unifesp (SP), acredita que o fato de estarmos vencendo a Aids – com coquetéis de remédios que garantem boa sobrevida – faz com que o mal se distancie das pessoas. Mas os números ainda são alarmantes. Segundo o Departamento de DST, Aids e Hepatites Virais do Ministério da Saúde, o Brasil tem 36 mil casos novos por ano. E, se antes a maioria dos soropositivos era homem, hoje cada vez mais mulheres estão entrando nessa estatística – a relação de 6 homens para cada mulher infectada em 1989 passou para 1,6 em 2009.

Foi o caso da advogada Cássia*, 31 anos, que conheceu um guapo por intermédio de um casal de amigos há dois anos. “A primeira vez que transamos, tentei fazê-lo colocar camisinha. Ele alegou que, poxa, era amigo do meu amigo há milênios... Não quis cortar o clima e transamos sem proteção”, conta. Eles terminaram e, meses depois, Cássia se descobriu soropositiva ao doar sangue. “Meu ex fez os exames e comprovou que também tem o HIV – mas jura que não sabia disso quando estávamos juntos. Hoje, faço acompanhamento com infectologista e exames a cada três meses. Mas, mesmo me cuidando, não transo desde o diagnóstico. Morro de medo de contaminar alguém”, diz.

Discurso mofado, mas ainda válido

Não é só o avanço da medicina que tem feito cada vez mais mulheres dispensarem o preservativo. “Em uma sociedade machista como a nossa, o homem pode tirar o pacotinho do bolso. Já a mulher tem receio do que possam pensar dela se fizer isso”, afirma Jean Gorinchteyn, infectologista do Instituto Emílio Ribas (SP). Ele está certo. Segundo nossa pesquisa, apenas 25% das entrevistadas carregam preservativo na bolsa. E, por mais ultrapassado que pareça, o motivo ainda é o medo de não agradar ao cara. É como se a camisinha fosse a prova de uma vida sexual promíscua, vê se pode.

Desde quando cara bonita é atestado médico?

Outro álibi usado para “esquecer” a camisinha: um rostinho/corpinho bonito e aparentemente saudável. A estudante Julieta*, 25 anos, foi vítima dessa arapuca. Fazia quatro semanas que estava saindo com o primo de uma amiga quando eles transaram – sem camisinha. “Eu conhecia a família toda dele... Saberia se estivesse doente”, relembra. Mas é aquela história: quem vê cara... Em seguida, em um exame de rotina, Julieta descobriu que tinha HPV. “Bem, se eu tenho o vírus e não aparentava, ele também podia ter, né? Aliás, qualquer um pode ter. Agora, sempre carrego camisinha e não abro mão dela nem se o príncipe Harry me pedir.” E completa:
“No fim das contas, tive sorte. Já pensou se fosse HIV?”. Pois é, a maioria das leitoras está convicta: “Aids? Isso nunca vai acontecer comigo!”. Tomara que não. Mas que tal então transformar logo a exceção em regra? 

Sexo inseguro em números

* 289 leitoras responderam à enquete no nosso site. Os resultados são chocantes:
57% dizem que transam, sim, sem camisinha habitualmente.
41% já abriram mão do preservativo no primeiro encontro.
* Das que transam sem camisinha, mais de 72% alegaram que sentem mais prazer assim. As outras justificativas: vergonha de cortar o clima (13%), confiança no parceiro (11%) e vontade de
agradar (4%).
* 76% disseram que, quando usam camisinha, a iniciativa é delas.
Só 24,9% carregam camisinha na bolsa.

Fone:http://revistaglamour.globo.com/Amor-Sexo/noticia/2013/10/camisinha-tem-que-usar-mas-muita-gente-boa-por-ai-nao-usa.html

quinta-feira, 20 de março de 2014

GARANTA ORGASMOS MÚLTIPLOS COM A MASSAGEM TÂNTRICA

Foto: Getty Images


Garanta orgasmos múltiplos com a massagem tântrica



Ficou curiosa com a técnica? Ensine o básico dessa massagem erótica para o gato e quem chegará as alturas será você.



O objetivo é ensiná-la a ter orgasmos múltiplos com a ajuda do seu parceiro, que vai aprender os segredos da massagem tântrica! "Com estímulos pontuais e entrega do corpo, é possível ir em direção ao inimaginável em relação ao orgasmo", diz Evandro Palma, terapeuta corporal tântrico do Centro Metamorfose, que tem sedes em mais de dez estados do país. É hora de esquentar o clima, entregar-se ao prazer e experimentar 1, 2, 3, múltiplos orgasmos.

Prepare-se

Deite-se com a barriga para cima e relaxe. Feche os olhos, deixe a respiração solta e a boca entreaberta. A ordem é ficar todinha entregue! Uma boa música e o quarto à meia-luz completam o clima.

Como ele deve fazer

Esta primeira etapa dura 40 minutos. Para começar, ele deve deslizar só as pontas dos dedos por todo o seu corpo de forma bem lenta. "O toque é muito leve", ensina Palma.
Passo 1: Ele começa a massagem pelas suas coxas, subindo e descendo as pontas dos dedos por toda a extensão. Depois, ele desce mais, massageando até os seus pés.
Passo 2: É hora de subir! Como se estivesse descobrindo o seu corpo, os dedos dele percorrem a área da sua pélvis, seu abdômen, seio, ombros, braços, pescoço, rosto e cabeça. "Ele não precisa se dedicar a uma área específica. Deve repetir os movimentos várias vezes", orienta Palma. A essa altura você já estará supersensível ao toque!
Passo 3: Agora você se vira para um lado e depois para o outro e recebe a massagem por toda a lateral do corpo. "Esqueça o que já escutou sobre zonas erógenas. A massagem nessa área é sensacional", completa o terapeuta.
Passo 4: Por fim, deite-se de barriga para baixo. Ele deve concentrar a massagem nos seus glúteos. Até aqui você terá experimentado uma sensação fantástica. Não se assuste se o seu corpo começar a vibrar e pular. "Você pode sentir arrepios no corpo todo, uma sensação de parecer levitar. Espasmos involuntários da musculatura também podem acontecer e são muito prazerosos", diz Palma.

O momento dos orgasmos

O seu corpo estará muito sensível aos toques do amado. Então prepare-se para a segunda etapa tântrica, por mais 40 minutos. Continue relaxada:
Passo 1: Com a ajuda de gel ou óleo de massagem, ele deve massagear com um pouco mais de pressão toda a sua virilha, de cima a baixo. Ele deve então passar os toques para cada um dos grandes lábios e depois para os pequenos lábios. Agora, ele segue para o seu botão do prazer, o clitóris! Permita-se sentir tudinho.
Passo 2: Agora, peça para o seu parceiro utilizar um vibrador, sem grandes movimentações. O ideal é que ele seja aplicado na região do clitóris! "Quem tem facilidade para acessar o orgasmo, a perspectiva é de ter múltiplos", diz o terapeuta.
Fonte:http://mdemulher.abril.com.br/amor-sexo/reportagem/esquente-o-clima/garanta-orgasmos-multiplos-massagem-tantrica-757872.shtml



10 dicas de sexo tântrico

Atitudes simples para incorporar o tantra no dia a dia do casal


Bruno Zanardo/Fotoarena
A massagem é um dos principais recursos 
do sexo tântrico
Você já deve ter ouvido falar que os praticantes de sexo tântrico têm a consciência corporal mais desenvolvida, que a energia produzida durante a relação gera disposição e que os orgasmos duram mais tempo. Tudo isso é verdade, garantem os especialistas. Mas, para chegar nesse ponto, é preciso investir em treinamento – e muitas vezes isso implica em rever o estilo de vida.
A massagem é um dos recursos principais do sexo tântrico, além disso, alguns exercícios mentais e corporais ajudam na ativação da energia sexual, a chamada “kundalini”. A prática é recomendada para todo tipo de casal disposto a aprender, sem limitações de idade ou preferências sexuais.
A psicóloga clínica Judy Kuriansky, autora do livro “O Guia Completo do Sexo Tântrico” (Editora Madras), e os terapeutas corporais Gabriel Saananda e Roberta Jaloretto, do Espaço Companhia do Ser, ensinam os dez primeiros passos para iniciantes, que buscam novas experiências prazerosas.
1. Tempo e sincronia Reserve pelo menos um dia na semana para praticar a massagem tantra com seu parceiro. O horário da manhã é recomendado, após uma boa noite de sono. Antes de começar, Judy Kuriansky recomenda: “É preciso que o casal esteja na mesma sintonia. Inspirar e expirar juntos até estarem no mesmo nível energético”, diz.
2. Explore o outro A mulher pode começar aplicando a massagem no homem. A terapeuta Roberta Jaloretto aconselha: “Toque todo o corpo dele buscando levar sensibilidade para partes que geralmente ficam esquecidas. A ideia é sensibilizar ‘o todo’ por meio de toques suaves, trabalhando a pele com toques bem relaxantes”, diz.
Bruno Zanardo/Fotoarena
O objetivo é promover sensações gostosas e estimulantes
3. Não tenha pressa A massagem tântrica não combina com pressa nem pressão. É preciso saborear a experiência, o caminho, sem focar tanto na conclusão. Estar em posição de receber a massagem é especialmente benéfico para o homem, que aprende a controlar e prolongar o seu prazer. Ele deve ficar de meia hora até uma hora apenas curtindo os toques, sem ejacular. “É uma brincadeira que funciona como um treinamento”, ensina Gabriel Saanandra. 

4. Deliciosos artifícios Segundo Saanandra, você também pode utilizar as unhas, os cabelos ou um lenço de seda para fazer a massagem. “Isso faz com que a pele fique sensível e acorde – ele começa ficar arrepiado”. É recomendado utilizar texturas e brincar com as sensações de quente e frio; use a imaginação! 

Bruno Zanardo/Fotoarena
Toques suaves com unhas, lenços e outros
5. Inverta os papéis 
O homem também deve massagear a mulher: são toques longos e circulares, que ligam duas partes do corpo – enquanto uma mão sobe, a outra desce: o ombro com o bumbum, os genitais com a barriga, as costas com o abdome. Existe uma grande variedade de óleos especiais para massagem. Mas, na falta de algum produto específico, você pode usar o hidratante que tiver em casa. 

6. Respire, suspire... A respiração é parte importante durante todo o processo. A inspiração deve ser profunda e a expiração bem relaxada. “Trazer energia para dentro e relaxar na hora de soltar o ar”, ressalta Saanandra. Durante o ato, gema, suspire, não tenha vergonha de expressar as sensações boas da massagem por meio de sons.
7. Olho no olho 
Olhar nos olhos é uma prática básica do sexo tântrico. Judy Kuriansky, autora de “O Guia Completo do Sexo Tântrico”, recomenda olhar fixamente para a chama de uma vela por algum tempo para desenvolver a concentração necessária para intensas trocas de olhares. É recomendável praticar o exercício antes de dormir. Você também pode, ao invés de olhar, ser receptiva e receber o olhar do outro. 

8. Crie rituais amorosos Tomar banho juntos, vestir aquela roupa especial, escolher um perfume estimulante... Esses pequenos ritos preparam para uma troca de amor mais íntima. O ambiente deve estar totalmente limpo, com luz na medida. A roupa de cama pode ser especial para a ocasião e, para aumentar o conforto, disponha também algumas almofadas. Posicione objetos que simbolizem os quatro elementos: uma vela para o fogo, um líquido para a água, uma folha para o ar, uma flor para a terra. 

9. Entenda a filosofia tantra “Sexo tântrico não é o sexo que as pessoas conhecem. O tantra busca ensinar e ajudar as pessoas a se excitarem com o afeto e não com o genital”, frisa Gabriel Saananda. A filosofia propõe uma maior conexão com o seu ser, expansão de consciência e percepção do corpo. “Dentro da terapia tântrica você vai aprender a lidar com suas sensações, a trazer intimidade para dentro da sua vida”.

10. 
Ache sua turma e um terapeuta sério Participar de workshops e vivências tântricas é uma boa pedida para os novatos. Existe uma variedade de treinamentos – em grupo, individuais, para casais, de longa ou curta duração – que variam de acordo com a filosofia de cada espaço. Como não há uma certificação e nem uma licenciatura em terapia tântrica, fique de olho na hora de escolher um profissional. O especialista tem que ser habilitado em técnicas de massagem, com especialização em tantra, e é essencial que você se sinta confortável com ele. O toque faz parte da terapia, mas não há sexo envolvido durante as sessões. “Com o terapeuta você vai desenvolver a confiança e a técnica para que carregue isso com você e possa aplicar no dia a dia”, explica Roberta. 

Para saber mais sobre sexo tântrico: Judy Kuriansky www.drjudy.com 
Cia do Ser www.ciadoser.org 
Source School of Tantra www.sourcetantra.com 
Livro: “O Guia Completo do Sexo Tântrico” - (Editora Madras) 


Fonte:http://delas.ig.com.br/amoresexo/10-dicas-de-sexo-tantrico/n1238149990255.html




Como fazer uma massagem tântrica a um homem




Como fazer uma massagem tântrica a um homem
O tantra é um ramo do ioga que se ocupa do aspeto sexual, ideal para quem se encontra numa procura espiritual, desejando ver o encontro sexual como algo mais além do aspeto carnal, como uma ferramenta para o crescimento individual e de casal. E dentro das muitas técnicas de sexo tântrico encontram-se as massagens, uma experiência extremamente prazerosa que levará o seu parceiro a um novo nível de prazer. Em umComo.com.br damos-lhe todas as dicas que precisa para descobrir como fazer uma massagem tântrica a um homem.
Foto: masajesalicante.net

Instruções
Ao contrário de uma massagem erótica convencional, a massagem tântrica do pênisnão tem como finalidade levar o seu companheiro à ejaculação, mas sim estimular a energia desta importante zona erógena, para experimentar o prazer e a ligação sexual de outra perspectiva.
Para começar esta massagem tântrica crie um ambiente ideal para o relaxamento. Escolha um momento de calma em que saiba que dificilmente alguma coisa os irá interromper, não se trata de um encontro rápido, por isso ambos devem ter tempo. Ilumine o quarto com velas aromáticas, com incensos, crie uma atmosfera destinada à calma e ao prazer.
Jogue ao estimular e excitar com o seu companheiro como faz habitualmente e valendo-se de todos os sentidos: a visão, despindo-se devagar e com muita sedução, o tato, deixando que ele acaricie o seu corpo e acariciando o seu também, o paladar, o sabor dos beijos, o olfato, o cheiro da pele do seu amante e o seu e claro a audição, onde todas as palavras eróticas entram em jogo.
Antes de por em prática a massagem tântrica é importante conhecer todos os pontos sensíveis dos genitais do seu namorado, além do pênis aproveite o poder de prazer queos testículos geram, o escroto e o períneo, todas estas zonas são de extrema importância para levar a cabo este tipo de massagem.
Para a massagem tântrica do pênis é fundamental usar lubrificação. Utilize um óleo suave como o de amêndoas, que é um hidratante ideal e que dará sensualidade aos seus movimentos, fazendo desta experiência um conjunto de sensações incríveis para ele.
Passo 6 de 7 - <p>Para esta massagem t&acirc;ntrica dever&aacute; <strong>usar as duas m&atilde;os</strong>, os movimentos ser&atilde;o ascendentes como indica a imagem, tamb&eacute;m descendentes mas de uma forma mais suave. Uma das suas m&atilde;os deve massajar os test&iacute;culos, escroto e per&iacute;neo, enquanto que a outra o far&aacute; com o p&ecirc;nis desde a base at&eacute; &agrave; glande, sempre mantendo o ritmo e usando toda a &aacute;rea das m&atilde;os, deve pegar o p&ecirc;nis e a zona dos test&iacute;culos com toda a palma da m&atilde;o, com suavidade mas com firmeza ao mesmo tempo. </p><p>Foto: estudiogladiators.es</p>
Para esta massagem tântrica deverá usar as duas mãos, os movimentos serão ascendentes como indica a imagem, também descendentes mas de uma forma mais suave. Uma das suas mãos deve massajar os testículos, escroto e períneo, enquanto que a outra o fará com o pênis desde a base até à glande, sempre mantendo o ritmo e usando toda a área das mãos, deve pegar o pênis e a zona dos testículos com toda a palma da mão, com suavidade mas com firmeza ao mesmo tempo.
Foto: estudiogladiators.es
É importante que você mesma se entregue e desfrute desta prática e deixe ali a sua energia, algo que o seu namorado sentirá imediatamente. Anime-se e seja criativa, ao desfrutar, permite que a energia sexual a invada enquanto faz o seu companheiro desfrutar. Não se limite, não pense se o faz bem ou mal, aproveite esta prática para estimular a intimidade e criar novas ligações.
Se deseja ler mais artigos parecidos a como fazer uma massagem tântrica a um homem, recomendamos que entre na nossa categoria de Sexo e Beijos.