Postagens

POR QUE BEIJAMOS(E OS OUTROS ANIMAIS NÃO) ?

Imagem
Direito de imagemTHINKSTOCKImage captionO ato de beijar pode ser uma 'invenção' recente dos humanos
Por que beijamos (e outros animais não)?Melissa HogenboomDa BBC Earth Analisando friamente, beijar é algo um tanto estranho: a troca prolongada de saliva com outra pessoa aumenta a possibilidade de transmitir até 80 milhões de bactérias com um único gesto. Ainda assim, praticamente todo mundo se lembra de seu primeiro beijo, com todos os detalhes íntimos e deliciosos. E beijar continua sendo uma parte importantíssima do romance. Quem vive nos países do Ocidente pode pensar que o beijo na boca é um comportamento humano universal. Mas um estudo recente, realizado por especialistas das Universidades de Nevada e Indiana, nos Estados Unidos, sugere que menos da metade das culturas do mundo adota o gesto. Beijar também é extremamente raro entre os bichos. De onde vem o beijo, então? Se é algo útil, por que não é adotado por todos os humanos e outros animais? Invenção recenteBem, pode ser jus…

A BUSCA POR 'CURA GAY' QUE INCLUI 4 TERAPEUTAS,ACAMPAMENTO DE CONVERSÃO,TRATAMENTO COM VIAGRA E PENSAMENTOS SUICIDAS

Imagem
Image captionMathew Shurka chegou a ser orientado a não conversar com mulheres para não se tornar "efeminado" | Foto: Arquivo pessoal
A busca por 'cura gay' que incluiu 4 terapeutas, acampamento de conversão, tratamento com Viagra e pensamentos suicidasJuliana GragnaniDa BBC Brasil em Londres Mathew Shurka tinha 16 anos quando decidiu contar para o pai que era gay. Apavorado, tinha certeza que "o homem que mais admirava" o aceitaria. "Eu amo você e vou ajudá-lo", respondeu seu pai. A "ajuda" veio em forma de terapias que prometiam "curá-lo" da homossexualidade. Em cinco anos, a partir de 2004, o americano passou por quatro terapeutas, um acampamento de "conversão", foi obrigado a tomar Viagra para se relacionar com mulheres, ficou depressivo e pensou em se suicidar. "Meu pai não é religioso. Ele só pensava: 'Meu filho não vai sobreviver neste mundo como um homem gay'", conta. Na última segunda-feira, o ju…

CURANDO RELACIONAMENTOS AFETIVOS

Imagem
Curando relacionamentos afetivos por Tania Rainha
Esta matéria é dedicada para ajudar você a entender e curar os relacionamentos afetivos e como podemos usar da nossa inteligência emocional a nosso favor. Primeiramente, vou explicar como as ondas cerebrais Theta podem te ensinar a equilibrar os seus hemisférios cerebrais direito e esquerdo e mudar crenças bloqueadoras e limitantes, que podem estragar o seu dia a dia. Simplesmente mudando a programação mental e o seu jeito habitual de pensar para uma maneira mais leve e livre, e então você passará a apreciar muito mais as suas experiências na vida e desfrutá-la de uma forma libertadora.  A onda cerebral Theta pode ser acessada quando vamos dormir, enquanto sonhamos e quando entramos em meditação profunda. Também pode acessar esse estado mental Theta, às vezes, enquanto dirige, pois você pode estar dirigindo por uma estrada e se distrair no meio de uma longa viagem ou de repente você tem uma epifania, uma resposta que você vem buscando a me…

POR QUE MEUS RELACIONAMENTOS SÃO TÃO DIFÍCEIS ?

Imagem
Por que meus relacionamentos são tão difíceis?por Nadya Prem
fato que estamos aqui para nos relacionarmos. Não tem como fugir disto! Precisamos uns dos outros de alguma forma. Não há quem não se relacione com o mundo externo, enquanto, na condição de ser humano. Desde o ar que respiramos e que compartilhamos, até outras necessidades básicas, enquanto habitantes do mesmo lar planetário. A grande diferença está em buscar a outra metade da laranja ou querer ser uma laranja inteira para compartilhar com outra laranja inteira.
Poucos já alcançaram o patamar evolutivo de não precisar de alguém para “completá-los”. São pessoas que não sentem a necessidade de relações à “moda antiga”, casando, tendo filhos e coisas do tipo. Sentem-se bem em sua própria companhia, estão completos. Diferente de sentir solidão, vivenciam a solicitude, que é viver bem consigo mesmo e não estão presas às convenções socioculturais. Os relacionamentos nos servem para o nosso autoconhecimento. A verdade é que, por meio …