quinta-feira, 28 de abril de 2016

O PODER DO AMOR E DO SEXO

O poder do amor e do sexo

O amor de verdade, não nasce apenas da atração fisica, muito menos de momentos de carencia ou mesmo luxuria! Na verdade, o amor tem ligação de alma e simples adulterios, casos de vingança ou libidinosos, apenas atrapalham o surgimento do verdadeiro amor. Um amor eterno se extravia até por mais de uma vida, pelo fato de essas almas errarem muito, mas, em algum momento acabam se encontrando! - como dizia os sagrados ciganos "kambulin Calon"...


 Os ensinamentos das antigas tradições concordam, através de todos os tempos, a reconhecer a importância da energia sexual no comportamento humano. Essa importância é primordial. A função sexual não se limita ao ato de procriação ... Os antigos sábios sabiam o que os modernos descobriram com o desenvolvimento de Endocrinologia: As glândulas secretam hormônios que drenam o sangue e tecidos estampados, órgãos e consciência, os personagens do sexo masculino e feminino. Nossas atividades fisiológicas, nervoso, endócrino, mentais, físicas e espirituais estão intimamente ligados com o nosso poder sexual.

De todas as glândulas, a SEXUAL é a que tem a maior influência sobre o corpo e a alma. Os grandes poetas, grandes artistas, grandes conquistadores e os grandes sábios possuíam Glândula Pineal e, portanto, desenvolveu um grande poder sexual. Inteligência, sabedoria e grandes habilidades em humanos perguntar se manifestar em todo o seu poder, a presença de glândulas sexuais poderoso. Quando os abusos e desperdícios sua energia sexual homem, ele perde sua força, vigor e inteligência. O abuso sexual faz com que os fracos, os nervos, os desequilibrados, psicopatas, degenerados sexuais. A energia sexual é uma força enorme dentro do ser humano. A energia sexual é a alma da árvore humana. O sexo é a energia da vinícola e nosso corpo físico quando esgotado, o abuso, a energia sexual, máquina humana começa a falhar, as doenças aumentaram e rapidamente viajar para o cemitério. O sábio uso do sexo e rejuvenesce aqueles que fazem uso sábio dele ser mantido jovem por um longo tempo, eles vão desenvolver os poderes internos, vitalizar o corpo será curado da doença e da cura ainda outras pessoas.

A humanidade vive hoje a conhecer os mistérios do sexo e do ser humano ainda não sabe mesmo. A atividade sexual que sabemos agora é totalmente mecânico, inconsciente, concupiscente e apaixonado, é uma atividade sexual que destrói, e apenas doente e, em vez do mais puro amor, sempre que desenvolver as paixões inferiores. A humanidade tem confundido paixão com amor. O amor é desconhecido por que há tantas tragédias e desunião em residências.

Existe no corpo humano sete glândulas endócrinas. Cada segrega uma ou mais hormonas actuam como mensageiros e comandos levar a diferentes partes do corpo para regular os processos corporais, tais como o crescimento, a pressão sanguínea, a temperatura, o cálcio, o açúcar, o fósforo e o mais importante, o função sexual. Qualquer falha de uma glândula ou o uso de hormônios sintéticos, afetar o sistema endócrino e desequilibrada, com todas as conseqüências. A glândula que regula o sistema endócrino é a glândula pituitária e dá força a todo o sistema, e que nos leva à vida, é o g Glandulas endocrinas lándula sexual.

O eixo hipófise-gônadas famosas, ou seja, glândula pituitária controla regulação de hormônios sexuais no homem e na mulher. Nos seres humanos, a pituitária está relacionado com o início da puberdade para enviar sangue para as hormonas que estimulam as gónadas. Nas mulheres, a glândula pituitária começa a puberdade estimular o crescimento de folículos nos ovários. Cada folículo segrega hormônios sexuais femininos que desenvolvem características sexuais nas mulheres. A vida humana é um fluxo contínuo de energia e transformá-la. Tudo no homem tem um começo e um fim, a vida começa e termina em sexo pelo sexo. Os órgãos sexuais no homem produzir a energia que dá a vida, a energia sexual, mas para produzir tal energia que necessita a energia do cérebro é considerado a matéria-prima para a produção de esperma e da energia sexual, e para a o funcionamento normal das glândulas endócrinas. Na verdade, a vida humana é o produto da união de um espermatozóide e um óvulo. Um único espermatozóide tem todas as qualidades para trazer à existência. Lembre-se que em cada ejaculação, o macho perde milhões de espermatozóides.
 O homem sempre buscou tanto por poder, quando por proteção e conhecimento! E nessa busca, ao se adentrar o misterioso e perigoso mundo da magia, foram desenvolvido mecanismos e ferramentas mágicas. Uma ferramenta muito importante sempre foram os amuletos, como vemos por exemplo no culto afro-brasileiro, os patuás e guias, etc... E ate mesmo cada deus ou divindade suprema sempre foi representado com sua arma ou ferramenta de poder, como um cetro ou uma espada por exemplo. Assim cada cultura, cada povo e cada fiel, tem sua adaptação e sincronia com um tipo de força e elemento. Descubra o seu e desenvolve seu poder magistico...
 O mago, o médium e o fiel, tem que ter consciência clara do que é fé, pois não pode cair jamais na armadilha da superstição que deixa sua mente confusa e bloqueada. Mas, ao mesmo tempo, não pode ser uma pessoa que vive seguindo um ceticismo limitador. Ela tem que saber a hora de orar, de se proteger e de se liberar. Por isso que meditar e aprimorar o conhecimento constantemente é muito importante. Porque todo que busca por sua espiritualidade plena, está a todo momento sendo alvo de ataques, tanto visíveis, quanto invisíveis! Então, saber que não cair em paranoia é muito importante, mas, também evitar o ostracismo... Estamos sempre em alerta! Namastê!


Quando há uma conexão de verdade entre duas pessoas, a presença é contagiante. Quando estão juntas, exala-se energias e boas vibrações. Os pensamentos chegam a ficar confuso, os desejos ficam aflorados e ficamos emocionados, até quando vemos a outra pessoa de longe. A companhia parece parar o tempo e a alegria fica grande, quando se está junto. O tempo passa depressa e quando a outra pessoa vai embora a saudade vem em segundo... Amigos verdadeiros são raros, por isso sempre tive poucos, pois sempre fui seletivo. E não selecionei conscientemente, apenas sigo o que o cosmos vai revelando a minha volta. Pessoas falsas, interesseiras e egoístas, nunca fizeram parte de mel circulo de amizades... A amizade é um dom, uma graça divina e um amigo verdadeiro vale ouro. E uma amizade que vira amor, é duas vezes abençoada... Mas, raramente as pessoas compreendem a verdadeira essência do amor! Amor e amizade poucos sabem cultivar. Vejam que mesmo São Pedro, negou o Cristo por 3 vezes, quando sentiu que poderia morrer em seu nome! Vimos que o mundo tem mais Judas que amigos sinceros. Mas, a amizade verdadeira ainda existe, por isso só diga que ama se realmente sentir, só diga que deseja o bem se realmente desejar e só abra seu coração se realmente confiar...


Emor - As impurezas e defeitos Depois de explicar todas as leis de pureza dos sacerdotes, Moisés explicita que qualquer sacerdote com defeito físico não pode se aproximar do Tabernáculo para realizar o serviço sagrado. Temos dificuldade em entender uma atitude desta, de um líder tão carismático como Moisés, de quem espera-se amor e compaixão o tempo! E é dificil entender essa discriminação contra os que têm um defeito, se considerarmos que Moisés falava e ordenava a mando de uma força maior, que, a rigor, deveria ser de bondade e de aceitação! O Rabi Meir de Dvinsk, um grande cabalista, explica que não devemos entender esses defeitos descritos como físicos como sendo realmente de tal natureza, mas sim como defeitos da alma (ou de caráter, como se falaria em bom português). Assim, se um sacerdote que até então era sadio passasse a ter um defeito, poder-se-ia presumir que ela perdera o mérito de servir, por causa de algo de errado na sua personalidade, por causa de uma fraqueza de caráter. Se o sacerdote já nascesse com o defeito, ele só podia servir se o defeito fosse reparado. Mais do que se aplicar aos sacerdotes, a lição se aplica a nós. É importante dizer que um defeito que a pessoa tenha (e todos nós temos algum defeito) de forma alguma significa que a pessoa é "má" ou "pecadora"; apenas que existe algum atributo ou traço de personalidade que precisa ser aperfeiçoado para que possamos fazer o nosso serviço sacerdotal, ou seja, para que possamos nos aproximar da espiritualidade. Para alguns, o defeito será a irritabilidade; para outros, a indolência; para um terceiro grupo ainda, talvez o defeito seja a mesquinharia, a avareza ou a inveja.

O que o trecho desta semana está nos ensinando é que não podemos seguir um caminho verdadeiramente espiritual – não podemos servir no Tabernáculo – enquanto esses defeitos existirem dentro de nós. Em vez de justificarmos nossos defeitos, deveríamos encará-los com uma dose de responsabilidade pessoal, como algo que está a nosso alcance mudar e transformar. Cabe a cada um de nós, um sacerdote por excelência, nos mantermos o máximo possível longe de defeitos e falhas nossas, para que assim possamos seguir um caminho de felicidade e de realização, objetivos máximos da verdadeira vida espiritual. Y. A. Cabalista

Carlinhos Lima

Fonte:Fonte: http://portalesdoceu.blogspot.com.br/2013/12/o-poder-do-amor-e-do-sexo.html




SEXO : O FEMININO,A LILITH,A POMBA GIRA E A ANCESTRALIDADE DA MULHER

Sexo: o feminino, a Lilith, a Pomba Gira e a ancestralidade da mulher
Lilith disse aos anjos que tinha o poder de causar doenças em bebês recém-nascidos. Se a criança fosse do sexo masculino, ela teria, então, dominio sobre ele por oito dias após seu nascimento. Se fosse do sexo feminino, seu poder se estenderia por 20 dias. No entanto, como consequencia por não voltar ao Éden, Lilith concordou que uma centena de seus filhos morreria todos os dias. Em troca, ela assumiu o papel de assassina de bebês humanos recém-nascidos. Ela também concordou que, se os nomes dos três anjos aparecessem em um amuleto, protegendo um bebê, ela não teria poder sobre ele. Desde então, cem filhos de Lilith morrem todos os dias e, quando ela vê os nomes angelicais em um amuleto, ela poupa a criança que ele protege.
Depois que Yahweh ter criado o homem, ele estava sozinho, então Lilith foi feita do barro para ser sua companheira. O casal começou a discutir sobre quem deveria assumir a posição dominante no sexo e Lilith recusou-se a se deitar sob Adão. Ela argumentou que ambos eram iguais pois foram criados da terra. Por fim, Lilith ficou zamgada. Ela pronunciou o Nome Inefável [de Deus] e fugiu. Adão ficou consternado com a perda de sua parceira sexual e não queria voltar a fornicar com animais. Ele orou a Yahweh , contando que sua mulher fugira. Imediatamente, Deus enviou os três anjos responsáveis pela medicina, Sanvi, Sansavi e Seronqeiaf, para que trouxessem a transgressora Lilith de volta ao Jardim do Éden. Yahweh disse que, se ela não retornasse, uma centena de seus futuro filhos morreria todos os dias. Os anjos encontraram Lilith à margem do Mar Vermelho [ou Mar dos Juncos], onde bem mais tarde, Moisés separaria as águas e destruiria o exército egípcio. Eles contaram a Lilith o que Yahweh dissera e ameaçaram afogá-la no mar se ela se recusasse a voltar. Lilith apenas riu em seus rostos angelicais e os amaldiçoou...
Um antigo escritor cristão, Metódio de Olimpo, atribuia o Dilúvio ao pecado das mulheres "que se sentavam em cima" de seus maridos durante o ato sexual (citação em Millis 1998: 141). Essa posição dominante fora ensinada às mulheres por seus amantes angelicais, os Vigilantes. Bruxas da Grécia antiga que veneravam a deusa Hécate também eram castigadas por preferirem a posição sexual superior. Representações da posição dominante feminina também se destacam na arte suméria. Graves e Patai (1964: 69) sugerem que a historia de Adão e Lilith simboliza a queda e substituição da deusa suméria Lilitu por outra deusa chamada Heba, que, por fim, acabou chegando ao Gênesis como Eva. Estamos aqui falando na verdade de toda ancestralidade das Pomba Giras também que são bem mais antigas, milenares e profundas do que pregam os terreiros de mau instruídos país a fora...
Quando Lilith tentou passar ensinamentos a seu marido humano em estado de inocência e ignorância primitiva, ele a rejeitou. Um motivo curioso de por que isso ocorreu é que Lilith recusou-se a aceitar a conhecida posição em que o homem fica em cima da mulher na relação sexual. Em vez disso, ela insistia em assumir a posição feminina dominante durante o ato amoroso.
Segundo a tradição, a Dama Lilith é um dos nomes sumério-hebraicos, da consorte de Lumiel. Nos textos cabalísticos esotéricos, ela é considerada a primeira mulher de Adão, antes da criação de Eva.
O Campo de força, feminino, de energia eletromagnética vaginal, clitoriano e uterino, em termos cabalísticos, vibraria como Shekinah, ou "Noiva de deus", o aspecto feminino do Criador Cósmico. Identifica-se essa energia com as antigas deusas das Luas negra e cheia - Diana, Tanit, Ishtar, Hécate e Lilith.
As vibrações femininas, não atraem apenas íncubos e demônios sexuais, como pregavam os malignos deturpadores da magia sexual, mas, atraem forças divinas, tanto que o ventre da mulher gera vida. Você faz ideia do poder criador que passa pelo canal vaginal, orários e trompas numa fecundação? E que portais se conectam aos alinhamentos cósmicos num orgasmo feminino? Pois é, essa resposta buscavam os magos de magia sexual, em todos os tempos. Essa força é tão potente e fica aprisionada numa virgem um poder de axé tão grande que atraíram até anjos. Os seres sobrenaturais veem de longe uma ventre ocupado, um clitóris energizado, um hímen intocado... As mulheres podem criar campos de força pelo qual o poder mágico se manifesta, como ocorreu com os caídos, manifestando-se no plano material com mais facilidade do que os magos homens...
Laroiê, Exu Bombogirá, Salve a tua banda comadre - Axé, Saravá e Laroiê...


Fonte: http://portalesdoceu.blogspot.com.br/2013/06/sexo-o-feminino-lilith-pomba-gira-e.html

SEXO,AMOR E MAGIA - O PODER FEMININO QUE HÁ EM VOCÊ


Sexo, Amor e Magia - o poder feminino que há em você


Oxum é sensível e compassível. O abèbè eléiye mostra sua ligação com as Ìyámi's Òsòròngà's (Mães feiticeiras). Oxum controla as águas dos rios, cachoeiras e nascentes Seu número é o 5 (Odù Òsé – fecundidade). Sua saudação é: "Òré Yeye Ofyderìman!"

Oxum é representada pelo o abèbè eléiye (leque com pássaro). Dia: sábado, ótimo para magias. A Senhora da sedução te deixará emotivo e contente. Ajudara nas paixões e família. Cuidado excessos alimentares.
A força feminina, revelada pelo Axé de Oxum, num portal de Câncer, como sombra de Gêmeos, aponta aos geminianos, a ação da Pomba Gira senhora Maria Rosa da Praia, diz a estes nativos que o momento é de reorientar ou reorganizar sua vida sexual, financeira e emocional. É momento de passar uma borracha no passado, limpar a mente e esquecer envolvimentos desastrosos. É hora de se sentir firme, autoconfiante e se direcionar a plenitude, filtrando os contados, as amizades e evitando aqueles que só trazem energias depressivas. Chega das relações cansativas, dos aproveitadores que só querem tirar proveito e nunca somar. É hora de demonstrar o real valor pra todos em volta, subir, avançar, prosperar e mostra toda especialidade de seu ser. Essas configurações mostram que as fraquezas estão afloradas, os medos, receios, as sombras da alma e que por isso mesmo, não se deve abater-se em sentimento, pensamento ou magos. É sim hora de focar no positivo, num desejo vivificador e frisar sempre naquilo que te faz bem - o Foco é amor e paz! Namasté...
O amor arde sem esperarmos, queima profundamente sem nos matar, como se fosse algo nuclear, inerente ao nosso ser. Chega sem avisar e mexe com toda nossa estrutura. Sem amor não vivemos e sem quem amamos sofremos. O amor é primordial, sem amor, os seres são apenas selvagens e irracionais...
A partir do momento que os Orixas andaram na terra, já previu-se os problemas que ainda carregam o deboche irresponsável e atitudes sexuais dos indivíduos humanos. Há referências às consequências que causam doenças sexualmente transmissíveis em vários odua e palavras do sistema orunmilá.
Entre Oduns são:. Okana, EYI Oko, Ogunda, Ojuani, Osa, Oséias, Iroso, Odi, Obara e outros Entre os dizeres são:
- O chamado a morte, constata. armadilhas-doenças no sangue.
- A doença é causada pelo sangue. A cura que é impossível. infectados Viceras sangue.
E sabemos que os sacerdotes, especialmente os de Ossaím, tem de ajudar os nossos irmãos e irmãs que estão doentes e aqueles que estão em risco de ficar doente de um comportamento negligente quando a privacidade do casal ou da pessoa vira apenas uma vida de atos libidinosos sem atenção a saúde, fisica, espiritual e psiquica. Quem carrega um odú de doença e morte pelo sexo, deve ter os cuidados redobrados. Diante tudo, devemos aceitar a diversidade de seleção sexual, para evitar danos resultantes negativo ou discriminatório a ajudar os outros.
Um sacerdote experiente pode ajudar de forma mais eficaz. Precisamos saber, no entano, que os serviços médicos são prestados, onde eles estão localizados, como para orientar as pessoas que se aproximam ou nos vemos esses problemas, quais são as doenças mais comuns e como eles são transmitidos e manifestas, que são a mais letal para a vida humana, como evitá-los, o uso adequado de proteção, como a camisinha, que condições favorecem a transmissão de doenças sexualmente transmissíveis, como curar, quais os tratamentos continuam, etc também precisa abrir os olhos de nossos irmãos e irmãs para ver o perigo que já está diante de seus olhos. A proibição da Igreja Católica, quanto a camisinha, não deve ser levada em conta, pois eles se baseiam em trechos de livros antigos, das religiões abramicas e que não são mais atuais.
Devemos sensibilizá-los para não ter atitudes de risco. Agora, o que fazer quando sabemos que um membro de nossa família está infectado com o vírus HIV que causa a AIDS? saber que essas pessoas têm muito baixa auto-estima e que isso leva morte mais rápido, porque ele não levou o amor da vida que é o mais apreciado sendo dado Oloddumare. Devemos mostrar que eles têm o apoio de todos os seus irmãos e irmãs, e eles não estão sozinhos nessa contingência como desfavorável. Devemos convencer, convenceu-se de que a vida vale a pena viver bem até o último momento de nossa existência, como demos Oloddumare para nós para desfrutar de sua criação e por nós para ajudar os outros de acordo com as nossas capacidades e potencialidades.
Nós não devemos discriminá-los ou rejeitá-los por estar doente. Isso requer saber bem as vias de transmissão desta doença tão terrível e explicar que atitude tomar. que podemos alcançar com os nossos irmãos e irmãs? O mais difícil. A mudança de atitude. Poucos, na verdade, até mesmo, tentar mudar o seu comportamento.
E, o sacerdote deve influenciar positivamente seu afilhado. sistematicidade da mensagem dada às pessoas que vêm até ele, e a confiança que depositam na reunião, servirá para orientá-los de forma produtiva. Embora pareça incrível, algumas pessoas têm grande desinformação e ignorância sobre DSTs e são irresponsáveis com suas vidas inconscientemente, eles negam o risco e não têm percepção.
Eles têm relações sexuais desprotegidas com o perigo habitual mortalmente doente. E a melhor ferramenta é o sacerdote, com o conhecimento de como trabalhar em conjunto para aumentar a motivação para mudar o comportamento sexual arriscado. Durante as conversações, que muitas vezes tem a madrinha padrinho / para seus afilhados e irmãos religiosos nos templos, você pode falar e promover o máximo possível troca. Então, todo mundo ganha em clareza.
O patrocinador deve conhecer a linguagem correta e liderar pelo exemplo. Acreditamos que, se todas as igrejas, ramos e famílias religiosas Osha Ifa propor uma cruzada pela vida e contra doenças sexualmente transmissíveis, incluindo o HIV, poderíamos colocar um efetivamente conter esses males entre nossos irmãos religiosos, em toda a nossa gama.
O mar e os oceanos é o inconsciente da Terra, de Gaia! E assim como o mar, nosso inconsciente, quando está revolto, transmite ao nosso consciente, desconforto emocional, psíquico e espiritual. E Iemanjá é como entidade (orixá), uma chave uma força e um poder gerador muito grande, pela qual seus filhos, meditam, buscam sua força e apaziguam seu ser. Com o poder mântrico direcionado a Iemanjá, o médium dotado de forças aquáticas, expande sua mente e repele as energias negativas. Na verdade o canto de Iemanjá e das sereias, ou a bela voz de Janaína em meio ao Amazonas, é para repelir os maus espíritos, ativar as memórias de vidas passadas e lembrar aos seres vivos que eles estão neste mundo, mas, que devem buscar um reino mais cheio de luz, que é o Orum. E se o canto de Janaína e das sereias adormecem ou hipnotizam, é porque todo corpo fica anestesiado, desligando o homem da materialidade, do apego a vida enfadonha e fadada a morte. Porém tem muitos filhos dessas vibrações finas, leves e totalmente astro-psíquicas, que não compreendem a leveza dessa vibração e partem pra descontroles. Muitos passam pro campo da esquizofrenia ou em meio a pavores enfiam a cara nas drogas, ai afastam as sereias e deixam as portas abertas aos demônios.
Então Iemanjá não protegeu esses indivíduos? Porque o Arcanjo Gabriel, não afastou os demônios? Porque o livre-arbítrio colocando em nossas mãos, como o bastão ou caduceu de Hermes, foi usado pra escolher os prazeres fantasiosos e destruidores, que muitos pensam que poderão num mero ou profundo engano controlar... Da mesma forma acontece com paixões que geram crimes passionais, ou luxurias embutidas em adultérios que geram loucuras, ódios e mortes. Tudo tem haver com uma conexão sombria de um inconsciente escuro a um consciente fraco...
Orixás: São esses tais livros, supostamente psicografados, que fazem a mistureba de catolicismo, espiritismo e romance, que vão propagando, ainda mais, o sincretismo, dogmatismo popular e fantasias. Assim são divulgadas afirmações, como se tivessem sido reveladas pelos orixás, quando muitas vezes partem apenas de mentes fantasiosas e sensacionalistas, como o monte de livro lançados sobre "Guardião disso", "Guardião Daquilo", "Cidade Disso", "Cidade Daquilo", "Ultimo Minuto" e até "Chips implantados na cabeça...". Pois bem, daí partem também afirmações como "o orixá de uma mulher será sempre feminino e de um homem sempre masculino...". E não! É? Claro que não! Tem homens filhos de Iemanjá, assim como tem mulheres filhas de Ogum, tem mulheres com Exu de Frente, como tem homens com Pomba giras de Frente... E assim por diante. Como eu já disse, temos um par primordial que comanda nossa cabeça, associando-se a um terceiro orixá que forma em nós a Trindade Formadora. Porém, em algumas pessoas, nem sempre o orixá da mesma natureza ou sexo é o comandante. Tudo parte da ancestralidade, do carma e de uma serei de fatores. Assim um indivíduo filho de Ogum com Oxum, tendo Oxum a maior potencia e mandando na cabeça dele, voltará seu poder de mexer com metais, para o campo beleza e da arte, manuseando muito bem uma tesoura, enquanto se ele tivesse Ogum mais forte, manusearia muito bem uma faca num açougue ou um bisturi num hospital. Tudo é uma questão de formação e código cósmico formador.
Na medida que uma mulher filha de Xangô com Iansã, tendo a Senhora dos Ventos mais forte, inclinará sua vida a defesa do feminismo ou causas que defendam a mulher, mas, também poderá ser advogada que trabalhe na defensoria pública e usar seu poder pra chegar até o cargo de tenente numa corporação. Enquanto se Xangô for o mais forte, ela poderá ser mais moderada, ser juíza, ser delegada, mas, com um poder mais de julgamento e nem tanto de ação... Tudo é uma questão de avaliação...
No século passado um sujeito chamado Freud analisou o mal estar na nossa civilização, que do princípio do prazer descamba para o desejo de morte e destruição. Parece que o horror perante a guerra total e totalitarismos nazi-fascista trouxe a nossa cultura para uma fase de regressão. É tudo infantilizado hoje, dos gostos, aos amores e ao sexo... E isso realmente está ocorrendo hoje. Tanto pelo fato de o Inconsciente Coletivo está sobremaneira carregado de energias confusas, pesadas e sombrias, quanto pelo motivo de o ser humano está sempre em busca de novas sensações, querer "sentir o barato", buscar o novo e experimentar o proibido. Isso tudo é o lado negro da nova Era de Aquário, portal oposto ao iluminado e emotivo Leão. Urano como senhor dessa nova Era traz bizarrices, assim busca-se experimentar o inconvencional ser menos tradicionalista, buscar quebrar leis, barreiras e desafiar o perigo. E o sexo como parte mais desafiadora da personalidade humana, pois sem ele a vida deixaria de existir, também foi contaminado por essa ideia de prazer com todor, de prazer com medo ou de prazer com transgressão. Isso explica o monte de casas sadomasoquistas, troca de casais, swing e cada vez mais pessoas com o nariz entupido de entorpecentes... É o demônio interno se manifestando, em conexão com o demonio sombrio do inconsciente coletivo e as asas negras de Asmodeu em pleno voo orgastico sobre as cabeças dos humanos, muito bem mostrado no portal 15 do Tarô e complementado no portal 13 também do tarô...
A força de Iemanjá e suas caboclas, guias e protetores da vibração das águas, é acima de tudo mental, mas, tem ligação direta com a espiritualidade, a qual é revelada pelo contato direto de entes hoje ausentes e também seres sagrados, afinal de contas, Iemanjá é a mãe de todos os orixás, representando também a parte feminina da criação... E a vibração de Iemanjá atua no plano da mente, é o poder psíquico do homem, mas, interligado ao plano espiritual. Por isso toda filha de Iemanjá é tão sensível e intuitiva... Porém um lado ruim pra quem tem essa vibração é que ao esta negativa ou atacada por magias externas, especialmente magias negras, essas pessoas, sofrem casamentos ruins e relações tensas no plano da afetividade...

Carlinhos Lima - Astrólogo, Tarólogo, Pesquisador e Mago de Umbanda Astrológica.

Fonte: http://portalesdoceu.blogspot.com.br/2013/06/sexo-amor-e-magia-o-poder-feminino-que.html

sábado, 16 de abril de 2016

"A MENINA DO LADO" SASHA GRAY,A MAIOR ESTRELA DO PORNÔ MUNDIAL,LÊ NIETZSCHE,GOSTA DE SEXO VIOLENTO E LUTA PELA LIBERAÇÃO DAS MULHERES ENTRE UMA ORGIA E OUTRA

A Menina do Lado

A Menina do Lado

Sasha Grey, a maior estrela do pornô mundial, lê Nietzsche, gosta de sexo violento e diz que luta pela liberação das mulheres – entre uma orgia e outra
por Por Vanessa Grigoriadis


Em um domingo encoberto em Los Angeles, Sasha Grey chega ao set do filme The Fuck Junkie exatamente às 9h. Esse não é o nome verdadeiro dela, apesar de ser uma alcunha bem sutil para uma estrela pornô - mistura Sascha Konietzko, um dos fundadores da banda alemã de rock industrial KMFDM, e a escala Kinsey de sexualidade, que identifica a orientação sexual com tons de cinza ("gray", em inglês). A locação da filmagem também é inesperada: um armazém de tijolinhos no centro de Los Angeles, longe do epicentro pornô em San Fernando Valley. Em seu camarim, a atriz desfaz uma mala cheia de maquiagem, lingerie e dúzias de fivelas; depois, aplica uma camada grossa de delineador nos olhos, na frente de um espelho. "Ninguém no pornô sabe fazer maquiagem direito", ela diz, enquanto passa o pincel pela pálpebra. "A única coisa que sabem fazer é deixar o meu rosto laranja. Prefiro fazer sozinha. Prefiro que a culpa seja minha."
Sasha, que é conhecida por explorar os limites extremos da pornografia, hoje vai gravar uma cena solo. É a primeira empreitada da Grey Art, a nova produtora que ela abriu com o diretor Oren Cohen, 31 anos, fornecedor de produtos pornográficos de terceira geração. "Esta empresa é minha, é um novo capítulo, um passo positivo para mim", ela diz. "Eu queria que ela começasse direito." Aliás, tomar atitudes deliberadas e simbólicas é a característica que a define. Aos 21 anos, ela já conseguiu dar seu pulo do gato: é a princesa reinante da indústria do entretenimento adulto, premiada como Atriz do Ano de 2008 pela revista Adult Video News; é musa de estrelas do rock, apareceu em clipes do Smashing Pumpkins e do The Roots; e, o mais impressionante, ela pode vir a causar sensação em outro ramo - estreou no cinema como a protagonista de The Girlfriend Experience, filme de Steven Soderbergh em cartaz nos Estados Unidos.
"Na indústria do entretenimento adulto, a gente é forçada a crescer e a trabalhar por conta própria. Senão, outra pessoa vai trabalhar e você já era", ela diz, antes de tirar o vestido de algodão. "Talvez só existam quatro pessoas nessa área com quem ando, porque são interessantes e não cheiram pó. Não telefono para ninguém para dizer: 'Oi, vamos à manicure?'. Eu faço as minhas próprias unhas."
Com 1,70 metro, 50 quilos e cabelo preto liso que chega até a região lombar, o corpo nu de Sasha é um primor, natural; sua pele lisa não tem marcas nem tatuagens (seu físico se parece com o da atriz Kate Beckinsale, e seu jeito é uma mistura de languidez e arrogância brutal). "Até onde eu sei, meninas do tipo 'suicide girls', com cabelo preto e tatuagens, são as novas loiras com peitão de silicone", ela fala. "Aquelas mulheres são todas iguais, idiotas." Ela pega uma calcinha de babados da mala, depois reconsidera a escolha e opta por um fio-dental preto. O tema pornô do dia é "gravatas". Ela examina uma gravata verde antes de escolher uma preta e mostra para Cohen.
"Você acha que vai ser com essa?", ele pergunta.
"Pode ser que sim", Sasha responde e concorda com a cabeça. "Estou sentindo que sim."
Por mais clichê que seja citar o olhar perdido e árido das pessoas que trabalham na indústria do sexo, há alguma coisa em Grey que é difícil captar, como se você estivesse falando com uma mulher atrás de um vidro. Quando ela se empoleira em uma cadeira no meio do armazém, joga os olhos para um holofote por cima dela e começa a se masturbar, o vidro se despedaça. A equipe observa em silêncio. Estamos a 6 metros dela, mas poderiam ser 60 centímetros. Ela se toca de maneira mecânica, transferindo os dedos para a boca mais ou menos a cada 30 segundos, até o momento em que se enforca com a gravata e irrompe em um orgasmo de minutos, com os olhos fechados - e isso faz com que todo mundo solte a respiração e bata palmas. Em seu êxtase, ela é a visão de uma deusa apavorante, alimentada por sua própria energia de prazer, que avança sem perdão para destruir os tímidos e seguros hábitos sexuais de nosso mundo. As performances dela são calibradas para desestabilizar, e atingem seu objetivo. Se Sasha estivesse masturbando outra pessoa daquele jeito, seria um ato de violência; mas, como está fazendo aquilo consigo mesma, tudo bem.
Como as mudanças culturais, a recessão e a era digital transformaram completamente as empresas de entretenimento, talvez só haja uma maneira de os artistas sobreviverem: ficar muito mais espertos, tornar suas visões exclusivas e buscar diversas fontes de rendimento. No passado distante, o pornô era o paraíso dos trouxas, em que fitas em VHS e brinquedos sexuais de borracha eram artigos de luxo; depois da internet, uma compilação de cinco horas de pornô em DVD sai por poucos centavos se for comprada no atacado, e ninguém acredita na estimativa de que essa indústria esteja avaliada em US$ 13 bilhões. Hoje, o acesso à pornografia está mais fácil do que nunca. Sasha Grey é a primeira atriz que apareceu nos últimos tempos com uma chance de se sobrepujar ao sistema falido - e de recuperar uma parte do estigma de seu setor de atuação.
Sasha se mudou para Studio City (região de Los Angeles) aos 18 anos, depois de economizar US$ 7 mil e escrever de próprio punho uma carta de intenção: "A maioria dos filmes adultos que vejo é um tédio, e nenhum me excita do ponto físico nem visual", dizia o documento. "Estou determinada e pronta para me transformar em objeto que atenda às fantasias de todos." No entanto, passar um tempo com ela é menos parecido com estar na companhia de uma executiva do que com uma anarquista de idade avançada ou de uma pessoa cuja vida se define por se destacar do mainstream (apesar de o lado prático dela aparecer em sua abstinência de drogas e bebidas, assim como sua escolha de carro, um sedã Saab cinza). Ela se recusa a bater papo furado, desdenha de delicadezas como sorrir ao entrar em algum lugar e desconfia profundamente da imprensa, citando o famoso ditado de Godard: "Toda edição é uma mentira".
Sasha não divulga seu cachê, mas a certa altura, na minha presença, ela considera se vai aceitar fazer uma cena de homem-mulher por US$ 5 mil. Ela fez cursos de atuação na adolescência e sabe lidar bem com críticas. Ela tem um jeito só seu de destruir convenções com sua conversa: diz que deseja ir ao programa do comediante Howard Stern com a bandeira da Palestina em volta dos peitos, porque acredita que ele é um racista enrustido; acha que a apresentadora Oprah Winfrey não dá dinheiro suficiente para a caridade, afinal, por mais que ela dê, sempre terá milhões sobrando. "Adoro o fato de Sasha ser intimidadora, poderosa e introspectiva", diz o guitarrista Dave Navarro, ex-Red Hot Chili Peppers e Jane's Addiction, que dirigiu Sasha no pornô Broken e hoje é o coempresário dela. "Quando se está perto, você não sabe o que ela está pensando, mas fica morrendo de vontade de saber."
No futuro, pode ser que Sasha venha a travar muitas batalhas contra a sociedade, mas, hoje, só está atrás de uma: a liberação da sexualidade feminina. "Quero dizer às garotas que sexo é legal", ela diz. "Tudo bem ser vagabunda. Não precisa ter vergonha. As pessoas acham que as mulheres não conseguem entender o sexo, que haverá consequências pelas nossas ações, mas nós somos capazes de ser tão analíticas quanto qualquer um."
"Eu sou pervertida", ela diz, negando ter sofrido abuso sexual. "Se estou trabalhando alguma questão pessoal por meio da pornografia, é a raiva da sociedade por não ser aberta em relação ao sexo." Na frente da câmera, é vulgar e agressiva, berra com os atores, dizendo para irem "mais fundo" e fazerem "mais forte" (ela é famosa por ter pedido ao ator que contracenava com ela em sua cena de estreia que lhe desse um soco no estômago). Ela ridiculariza o pornô leve, dizendo que só serve para "donas-de-casa que tomam Valium". Ela é rápida em enumerar seus tabus: cenas de simulação de estupro, ejaculação dentro da vagina, dedos de atores homens, tapa nos peitos, brincadeiras com fezes, animais e crianças - e isso significa que todo o resto é bem aceitável. Ela afirma que tem orgasmos genuínos pelo menos três quartos do tempo quando está em cena. "Muitas mulheres que fazem pornô fingem, mas eu nunca peguei Sasha fazendo isso", diz o ator Randy Spears. "Quando ela diz coisas fortes na frente da câmera, ela fala sério, porque está tentando nos matar. Nessa hora, ela só vai desistir se isso acontecer."
Atualmente, Sasha mora em uma casa moderna em Hollywood com o noivo, Ian Cinnamon, um diretor mulato de 34 anos que diz ser "95% heterossexual" (e esse, aliás, é o nome verdadeiro dele). Uma coleção da revista de arquitetura Dwell está organizada no banheiro e um pôster de La Chinoise, filme de Jean-Luc Godard, um presente de Soderbergh, está pendurado na sala. Nas estantes, a coleção é tão rigorosamente esotérica que chega a ser ridícula, uma biblioteca monástica de universitário de Nietzsche e Brecht e, para uma leitura mais leve, a inescrutável A Filosofia de Andy Warhol. Uma amostra de discos de vinil e DVDs está organizada atrás de uma cortina, dividida entre caixas de produções artísticas e os pornôs de Sasha, com títulos como Blow Me #11, Apprentass #10 e Meet the Fuckers #7.
A julgar pela qualidade das pessoas que tomamos como parceiros, a presença de Cinnamon diz muito sobre Sasha: é um desconhecido diretor de filmes independentes (criado pela mãe dançarina), equilibrado, doce e simpático. Ele e Sasha começaram a namorar mais ou menos na época em que ela começou a fazer pornô, com 18 anos, em sua primeira "relação séria e profundamente emocional", como ela descreve. A relação é "aberta", apesar de eles não aproveitarem esse benefício com muita frequência (fora do set, ela já foi para a cama com seis homens; na frente da câmera, uns 60). "Aprendemos muito sobre nós mesmos enquanto casal, e você aprende muito sobre si mesmo enquanto homem", diz Cinnamon, ao comentar sobre a profissão de Grey. "Mesmo eu sendo um cara liberal, continuo sendo um homem. Você passa de uma relação sexual normal, que significa 'eu me excito, chego perto e transamos' para uma relação cheia de regras. Se ela fala 'Eu vou trabalhar amanhã' significa 'eu não posso ficar ralada'. De verdade, não fico com ciúme do sexo. Eu fico meio chateado porque demora muito."
Depois que Cinnamon prepara um jantar leve (salada verde e frango grelhado), Sasha ferve água para um chá enquanto mostra o protótipo de seu site novo, administrado por ela mesma. Vai clicando em fotos-fetiche, como uma em que ela usa uma cinta com um pênis de borracha acoplado e olha sarcástica para a câmera, e depois em uma série de ícones que levam a entrevistas com os artistas preferidos dela. Os links não funcionam, e o lado perfeccionista dela se irrita. Cinnamon me mostra o apartamento, apontando para uma imagem emoldurada que o fotógrafo Terry Richardson fez dos dois no banheiro do andar de baixo, mas Sasha entra de supetão. "Preciso fazer xixi, e não quero subir", ela explica, brusca.
No canto, vejo um saltério chinês (instrumento de corda de origem medieval): Sasha, que toca violão, formou uma banda chamada aTelecine (que lançou um EP de vinil e vendeu todas as 300 unidades prensadas). O casal, que também pretende comprar um teclado Moog, é fã de rock industrial; foram ao festival Coachella só para assistir ao show do obscuro grupo Throbbing Gristle.
De repente, ela irrompe do banheiro e dá a maior cortada em Cinnamon: "Você parece uma esposa!"
Com essa atitude de "quem manda aqui sou eu", às vezes é difícil encarar Sasha Grey. A certa altura, ela começa a falar sobre uma mensagem de texto que recebeu de uma celebridade que tinha acabado de assistir a um de seus vídeos: "Ele diz que está fissurado em mim e que está limpando porra da barriga!" Ela não acredita em Deus e não tem medo da morte. Parece ter relegado seu lado feminino em favor do masculino, que só dá valor à bravura, às conquistas e à pilhagem. Às vezes, ela parece tão calculista quanto qualquer atriz mainstream.
Nascida em North Highlands (em Sacramento, Califórnia), Sasha é a terceira de quatro filhos. O pai dela, um mecânico greco-americano, abandonou a família quando ela tinha 5 anos e eles não se falaram mais. "Há pouco tempo, ele pediu para a minha irmã me dizer que ele me amava, e que esperava que 'ela consiga fazer tudo que ela diz que é'", ela conta. "Basicamente, ele disse: 'Espero que ela não ferre com tudo'." A mãe trabalhava para sustentar a casa e se casou com um homem com quem Sasha não se dá bem ("A relação deles era a tradicional 'mamãe faz o jantar', e isso me dava nojo", ela diz). Menina com jeito de menino, um tanto reservada, nunca brincou de Barbie; preferia escutar Beatles e Rolling Stones, depois Black Sabbath e Led Zeppelin, seguidos por Skinny Puppy e Nine Inch Nails. "Teve uma menina que disse: 'Sempre tive medo de que você fosse me bater', e eu nunca tinha falado com ela", Sasha ri. "É engraçado como a gente passa uma impressão para alguém sem nunca ter dito nada."
Como Freud ensinou, as crianças têm fantasias sexuais, que suprimem mais tarde, mas Sasha diz se lembrar bem das dela. "Desde que eu tinha 4 ou 5 anos, imaginava muitas fantasias com bondage e sadomasoquismo", ela diz. "Eu me lembro bem de um sonho em que eu descia por um poço até uma sala preta enorme. Eu estava algemada lá, trepando com um cara." Ela contou isso para a melhor amiga, que contou para os pais dela. "Eles disseram que eu não podia sonhar aquelas coisas de adultos. Me senti muito culpada por não poder ter aqueles pensamentos." Ela também diz que ela e outra amiga fizeram sexo oral uma na outra por volta dessa idade. Mais tarde, ela tinha sonhos eróticos de sexo entre homens e gostava do prazer masoquista de ralar o joelho. "As crianças faziam piada com sexo anal, e eu ficava pensando como se fazia aquilo, não em tom de piada", ela conta. "Perguntei para a minha mãe se ela pensava naquilo, pelo menos com o dedo, e ela só dizia que era um nojo e dava risada."
Sasha teve o primeiro namorado na 8ª série, mas só perdeu a virgindade aos 16, com um velho amigo. "Nós ficamos na minha casa, assistimos uns filmes e ficamos bêbados, e eu fiquei, tipo, 'vamos transar'", ela lembra. "Eu que o ataquei. Minhas amigas diziam que a primeira vez não é legal, mas eu gostei muito." O irmão de Sasha disse para ela não acreditar que os homens que queriam sexo também estavam interessados em amor, de modo que ela resolveu não se envolver com ninguém. Ela detestava a escola, faltou ao baile de formatura e se recusou a fazer a prova para tentar uma faculdade. Não demorou para se envolver com uma pessoa interessante: um cozinheiro de 27 anos, funcionário de uma churrascaria. "Eu contei as minhas fantasias para ele, e ele disse que também queria explorá-las", ela conta. Começou a assistir a pornô na internet, daí aprendeu a técnica do estrangulamento e passou para o sexo anal. Tudo que ele fazia com ela, ela fazia questão de poder fazer com ele também.
"Era muito saudável", ela diz, mas logo faz uma pausa. "Quando tinha 18 anos, eu me dedicava tanto a explorar o lado mais bruto da minha sexualidade que pensava: 'Não quero saber de beijar alguém'", ela diz. "Ainda gosto disso, mas agora que já explorei a questão em sentido mais profundo, profissional e pessoal, é bom poder dar um passo atrás e dizer, 'bom, não gosto que batam na minha vagina, talvez um pouquinho, mas não do mesmo jeito que gosto que me batam na cara'." Pergunto a ela quais são os atos sexuais que ela ainda deseja desempenhar, e ela pensa. "Tem uma fantasia que ainda não realizei", diz. "Quero transar em cima de uma máquina de lavar. Mas, em todos os lugares que morei, a máquina de lavar e de secar ficam empilhadas, então não dá para sentar em cima. Fico louca com cheiro de roupa lavada."
E difícil exagerar a raiva das garotas norte-americanas de 21 anos com os padrões duplos da cultura do país: seja sensual, mas não muito; assertiva, mas não exigente; e todas as outras besteiras que permitem aos homens roubar o poder. É possível que parte do prazer que Sasha tira da própria vida seja um tipo de vingança contra este sistema, uma renúncia às relações distorcidas entre os sexos que têm o intuito de enfraquecer as mulheres. Para ela, o mundo do sexo "normal" não tem sofisticação, e ela com frequência conta histórias sobre ser maltratada por pessoas que se sentem culpadas por não terem adotado o mesmo caminho que ela. Mesmo com a chance no filme de Soderbergh, ela ainda não conseguiu contratar um bom agente em Hollywood, porque eles têm medo de que os outros clientes não vão gostar de estar na mesma lista de uma estrela pornô. "A [vodca] Grey Goose ia patrocinar a festa de lançamento do filme, e quando descobriram que Sasha fazia filmes adultos, eles desistiram", diz Soderbergh. "O pornô hoje vai além do mainstream, a ponto de todo mundo que aparece na TV parecer estar em um pornô. Mas continua imperando a ideia de que o pornô é errado."
Há algumas semanas, Sasha foi jantar no restaurante italiano Pace, no bairro Laurel Canyon. Ela estava cansada após um dia de filmagens de This Ain't Star Trek XXX, em que ela faz o papel de uma vulcana tarada pelo Capitão Kirk. Ela exibe uma marca no braço por ter tirado sangue para um exame de sífilis. Já pegou gonorreia duas vezes e clamídia uma vez - "É igual a pegar um resfriado", ela explica - e exige que os parceiros sejam examinados dias antes de uma cena. "Quando o seu corpo é o que você vende, pegar qualquer coisa faz você se sentir uma merda", ela diz. "A minha reputação é boa o suficiente para que eu possa exigir testes de quem contracena comigo."
A franqueza de Sasha é assustadora, e apesar de ter falado um pouco alto demais, ela consegue me convencer de que não é a vítima. Ela pode ser apenas mais uma aspirante a estrela cheia de determinação, que explora sua perversidade em busca da fama. E não ficou claro se as mulheres ditas "tradicionais" irão mesmo se beneficiar de sua busca incessante pela liberdade sexual. Nos últimos 40 anos, o enigma do pornô e o seu significado em relação à violência contra a mulher foram debatidos em círculos feministas, sem conclusão à vista. Por mais que seja de partir o coração a ideia de que muitas estudantes irão para a cama com rapazes que esperam delas atitudes iguais às de Sasha Grey, também seria muito triste pensar nela como uma secretária reprimida que precisasse viver suas fantasias em segredo, pela internet. Alguém irá sair perdendo aqui, e não será Sasha. "Estou defendendo o meu pedaço", ela diz.
Sasha musical
Além de atriz pornô multipremiada, Sasha Grey também se aventura pela música. Em janeiro de 2009, na época do lançamento do primeiro single do aTelecine, seu projeto de música eletrônica, a norte-americana falou com exclusividade ao site da Rolling Stone Brasil. Leia a entrevista aqui.


Fonte:http://rollingstone.uol.com.br/edicao/33/a-menina-do-lado#imagem0

A Menina do Lado

quinta-feira, 14 de abril de 2016

SOLTEIRAS AOS 27 ANOS : O DRAMA DA "MULHERES QUE SOBRARAM" NA CHINA

  • Para sociedade chinesa tradicional, as mulheres devem priorizar o casamento e a maternidade
    Para sociedade chinesa tradicional, as mulheres devem priorizar o casamento e a maternidade

Solteiras aos 27 anos: o drama das "mulheres que sobraram" na China

12/04/201609h04 

"Sempre achei que ela tinha uma ótima personalidade. Mas ela não é muito bonita, fica na média. É por isso que ela é uma 'mulher que sobrou'", diz uma mãe sobre a filha solteira.
A cena faz parte de uma de uma propaganda que está viralizando na China por tratar do estigma das mulheres que passaram dos 35 anos e ainda não se casaram.
O anúncio está provocando um acalorado debate por tratar das chamadas "sheng nu", algo como "mulheres que sobraram", um problema latente em uma sociedade em que as mulheres devem priorizar o casamento e a maternidade.
Com quatro minutos e feita no estilo documentário, a campanha "Marriage Market Takeover" (algo como "invadindo o mercado de casamentos") foi feito pela marca de produtos de beleza SK-II.
Em um comunicado enviado à BBC, o presidente da empresa, Markus Strobel, disse que o vídeo faz parte de uma "campanha global para inspirar e empoderar as mulheres a moldar seu próprio destino".
"Nós mostramos um problema da vida real de mulheres chinesas talentosas e corajosas que são pressionadas para casar antes dos 27 anos, por medo de serem rotuladas como 'sheng nu'."

SK II
No vídeo, mulher ouve mãe dizendo que ela não se casou por não ser muito bonita

Pressão da sociedade

Pela definição do governo, o uma "mulher que sobrou" se refere a qualquer mulher acima de 27 anos solteira.
O Partido Comunista Chinês tenta pressionar essas mulheres para casarem, para lidar com um grave desequilíbrio de gênero causado pela política do filho único, que foi revogada recentemente.
Mas de acordo com Leta Hong Fincher, autora do livro Leftover Women: The Resurgence of Gender Inequality in China (As mulheres que sobraram, o ressurgimento da desigualdade de gênero na China, em tradução livre), as chinesas não casadas estão em um "verdadeiro momento de mudança", já que muitas estão começando a abraçar um estilo de vida de solteira e lutando contra o estigma.
"Essas jovens estão sendo alvo de uma campanha deliberada do governo para pressioná-las a casar", disse Leta. "Mas as mulheres chinesas hoje estão cada vez se educando cada vez mais e resistindo ao casamento.
Essas mulheres solteiras estão tendo vidas ótimas. Mas essa tortura psicológica vivenciada por essas mulheres para se casarem é algo extremamente real. E reflete a realidade de muitas jovens profissionais na China."

Pais e filhas

O vídeo intercala testemunhos emocionantes das mulheres com a opinião de seus pais.
"Na cultura chinesa, respeitar os pais é o mais importante. E não se casar é visto como o maior sinal de desrespeito", diz uma delas, sem conseguir segurar o choro. "As pessoas acham que uma mulher solteira é incompleta", afirma outra.

SK II
Para muitas famílias, a filha não se casar antes dos 27 é visto como um sinal de desrespeito

O vídeo foi intensamente compartilhado no Facebook mundo afora. E, na China, recebeu mais de 4 mil curtidas e foi compartilhado mais de 20 mil vezes na rede social Weibo.
"Eu sou solteira e precisava ver esse vídeo para saber que não estou sozinha e não tomei as decisões erradas. É possível ser feliz sem um homem. Não deveríamos ser punidas por nossas escolhas, já que não estamos prejudicando ninguém", comentou uma usuária.
A propaganda termina com as mulheres e seus pais visitando o chamado mercado do casamento, que são lugares em que pais colocam cartazes com os pontos positivos de seus filhos, na expectativa de encontrar um parceiro para eles.

Mas, na propaganda, os cartazes das mulheres em questão são acompanhados com frases delas a seus pais. "Eu não quero me casar só pelo fato de estar casada. Eu não serei feliz dessa maneira", diz um dos pôsteres.
"Eu me oponho ao termo 'mulher que sobrou'", diz outro cartaz com a foto de uma das mulheres, cuja mãe reage: "Os homens que sobraram precisam se esforçar mais."
Será mesmo que a sociedade chinesa vai passar a aceitar a escolha dessas mulheres? "No momento, essa expectativa é uma mera fantasia."
"Casamento na China ainda é algo extremamente patriarcal. Mas acredito que essa tendência de mulheres optando por serem solteiras e independentes vai crescer – o que estamos vendo é só o começo."


SK II
Para especialista, ainda levará tempo para a sociedade chinesa aceitar as mulheres que optam por não se casarem antes dos 27

Fonte:http://noticias.uol.com.br/ultimas-noticias/bbc/2016/04/12/solteiras-aos-27-anos-o-drama-das-mulheres-que-sobraram-na-china.htm

  • Para sociedade chinesa tradicional, as mulheres devem priorizar o casamento e a maternidade

segunda-feira, 11 de abril de 2016

CONVERSAS CARA A CARA REDUZEM PRECONCEITO CONTRA TRANSGÊNERO,APONTA ESTUDO

Conversas cara a cara reduzem preconceito contra transgênero, aponta estudo

Paula Moura
Colaboração para o UOL


Embora o preconceito contra gays e lésbicas tenha diminuído, a discriminação de transgêneros continua alta. A partir dessa premissa, um estudo verificou se é possível mudar a opinião pública sobre as pessoas que se veem como o gênero oposto com conversas porta a porta.
A ideia não é nova: esse tipo de abordagem já havia ajudado a reduzir o preconceito contra o primeiro grupo em uma experiência norte-americana. Mas, desta vez, usando uma técnica diferente, o resultado foi maior: uma de cada dez pessoas mudou sua opinião sobre transgêneros e passaram a apoiar leis para protegê-los. O estudo foi divulgado na quinta-feira (7) na revista Science Advances.
David Broockman, da Universidade de Stanford, e Joshua Kalla, da Universidade de Berkeley, na Califórnia, checaram se as intervenções do Centro LGBT de Los Angeles e do SAVE, mais antiga organização LGBT do Sul da Flórida, tiveram impacto duradouro nas pessoas que tinham tido conversas com o grupo.
O estudo foi conduzido no verão de 2015 em Miami, na Flórida, um Estado considerado conservador. As conversas de 10 a 15 minutos eram realizadas tanto por transgêneros quanto não-transgêneros e abordavam temas como o preconceito. Os moradores abordados eram estimulados a refletirem, por exemplo, sobre experiências em que eles se sentiram tratados de uma maneira diferente da forma como outras pessoas eram tratadas. O objetivo era gerar empatia nos moradores. 
As estratégias de aproximação foram desenvolvidas pelo Centro LGBT de Los Angeles. A teoria usada é conhecida como processamento ativo, ou seja, quando alguém se esforça para processar uma mensagem, talvez considerando-a pelo ponto de vista de outro. Essa abordagem mostrou mudanças duradouras na atitude de alguns indivíduos para certos tipos de mensagens avaliadas em laboratório. Neste estudo, foi verificada a eficácia do método no mundo real.
Para medir os efeitos, os autores entrevistaram os participantes antes e depois da conversa, perguntando sobre as atitudes deles em relação aos trans, entre outros assuntos. Novas entrevistas foram feitas após três dias, três semanas e três meses. Os efeitos persistiram por três meses e o apoio se manteve mesmo ao expor os entrevistados a contra-argumentação.

Outras tentativas de reduzir o preconceito com outras ténicas como conversas por telefone ou mesmo pessoalmente não foram tão efetivas como essa, ressaltam os autores.
As conversas feitas por 56 agentes atingiram um público amplo: 501 eleitores, tanto democratas quanto republicanos, eleitores liberais e conservadores, homens e mulheres e entre negros, caucasianos e latinos. Todos mostraram uma mudança profunda de atitude.

No Brasil

"O segmento T é o que mais sofre violência", diz William Salvador Martins, diretor da Associação Parada do Orgulho LGBT. Por segmento T, Martins se refere a travestis, transexuais, homens trans, mulheres transexuais e transgêneros.
Neste ano, o tema da parada gay em São Paulo será a luta contra a transfobia. O evento acontece em maio. A associação aponta que o Brasil é o país que mais mata travestis, transsexuais e transgêneros no mundo. Segundo a ONG, de janeiro a 2008 a março de 2014, foram contabilizadas 604 mortes.


Veja transformação de menina que se tornou garoto aos cinco anos de idade nos EUA 16 fotos

1 / 16
"Eu sou um garoto", foi uma das primeiras frases formuladas por Ryland, que nasceu menina, mas aos cinco anos de idade quis assumir a identidade de um menino. Ryland é um garoto comum que gosta de brinquedos e atividades típicas de meninos da sua idade Imagem: Reprodução Youtube/ TheWhittingtonFamily

Veja transformação de menina que se tornou garoto aos cinco anos de idade nos EUA

2 / 16
"Eu sou um garoto", foi uma das primeiras frases formuladas por Ryland, que nasceu menina, mas assumiu a identidade de menino aos cinco anos de idade. Os pais do garotinho, Jeff e Hillary Whittington, que moram em San Diego, na Califórnia (EUA), afirmam que a então menina só gostava dos brinquedos e atividades comuns a meninos da sua idade .Imagem: Reprodução Youtube/ TheWhittingtonFamily

Veja transformação de menina que se tornou garoto aos cinco anos de idade nos EUA16 fotos

3 / 16
Ryland, que nasceu menina e adotou a identidade de menino aos cinco anos de idade, tentando usar uma gravata. Os pais do garotinho, Jeff e Hillary Whittington, que moram em San Diego, na Califórnia (EUA), contam que decidiram cortar os cabelos da filha, comprar roupas novas, redecorar o quarto dela e passaram a se referir a ela como a um garoto.Imagem: Reprodução Youtube/ TheWhittingtonFamily

Veja transformação de menina que se tornou garoto aos cinco anos de idade nos EUA

4 / 16
Desenho feito por Ryland quando ele tinha quatro anos de idade. Os pais do garotinho, Jeff e Hillary Whittington, que moram em San Diego, na Califórnia (EUA), afirmam que a então menina só gostava dos brinquedos e atividades comuns a meninos da sua idade.Imagem: Reprodução Youtube/ TheWhittingtonFamily

Veja transformação de menina que se tornou garoto aos cinco anos de idade nos EUA

5 / 16
Ryland, que nasceu menina e adotou a identidade de menino aos cinco anos de idade, fantasiado de Homem Aranha.Imagem: Reprodução Youtube/ TheWhittingtonFamily

Veja transformação de menina que se tornou garoto aos cinco anos de idade nos EUA

6 / 16
"Eu sou um garoto", foi uma das primeiras frases formuladas por Ryland, que nasceu menina e adotou a identidade de um menino aos cinco anos de idade Imagem: Reprodução Youtube/ TheWhittingtonFamily

Veja transformação de menina que se tornou garoto aos cinco anos de idade nos EUA

7 / 16
Ryland, que nasceu menina e quis adotar a identidade de um menino aos cinco anos de idade, ao lado da irmã mais nova. Os pais do garotinho, Jeff e Hillary Whittington, que moram em San Diego, na Califórnia (EUA), afirmam que a então menina só gostava dos brinquedos e atividades comuns a meninos da sua idade.Imagem: Reprodução Youtube/ TheWhittingtonFamily

Veja transformação de menina que se tornou garoto aos cinco anos de idade nos EUA

8 / 16
"Eu sou um garoto", foi uma das primeiras frases formuladas por Ryland, que nasceu menina e adorou a identidade de um menino aos cinco anos de idade Imagem: Reprodução Youtube/ TheWhittingtonFamily

Veja transformação de menina que se tornou garoto aos cinco anos de idade nos EUA

9 / 16
"Eu sou um garoto", foi uma das primeiras frases formuladas por Ryland, que nasceu menina e adotou a identidade de um menino aos cinco anos de idade Imagem: Reprodução Youtube/ TheWhittingtonFamily

Veja transformação de menina que se tornou garoto aos cinco anos de idade nos EUA

10 / 16
"Eu sou um garoto", foi uma das primeiras frases formuladas por Ryland, que nasceu menina e adotou a identidade de um menino aos cinco anos de idade Imagem: Reprodução Youtube/ TheWhittingtonFamily

Veja transformação de menina que se tornou garoto aos cinco anos de idade nos EUA

11 / 16
"Eu sou um garoto", foi uma das primeiras frases formuladas por Ryland, que nasceu menina e adotou a identidade de um menino aos cinco anos de idade Imagem: Reprodução Youtube/ TheWhittingtonFamily

Veja transformação de menina que se tornou garoto aos cinco anos de idade nos EUA

12 / 16
"Eu sou um garoto", foi uma das primeiras frases formuladas por Ryland, que nasceu menina e e adotou a identidade de um menino aos cinco anos de idade. Os pais do garotinho, Jeff e Hillary Whittington, que moram em San Diego, na Califórnia (EUA), contam que Ryland nasceu com um problema auditivo grave e com um ano de idade precisou ser submetido a um implante coclear (dispositivo eletrônico capaz de restaurar a audição de pessoas com dificuldades em ouvir). Ryland, que não falava por causa do problema, aprendeu a pronunciar as palavras depois de passar pelo procedimento.Imagem: Reprodução Youtube/ TheWhittingtonFamily


Veja transformação de menina que se tornou garoto aos cinco anos de idade nos EUA

13 / 16
Ryland, que nasceu menina e adotou a identidade de um menino aos cinco anos de idade, ao lado da irmã mais nova. Os pais do garotinho, Jeff e Hillary Whittington, que moram em San Diego, na Califórnia (EUA), afirmam que, quando menina, Ryland só gostava dos brinquedos e atividades comuns a meninos da sua idade.Imagem: Reprodução Youtube/ TheWhittingtonFamily

Veja transformação de menina que se tornou garoto aos cinco anos de idade nos EUA

14 / 16
"Eu sou um garoto", foi uma das primeiras frases formuladas por Ryland, que nasceu e adotou a identidade de um menino aos cinco anos de idade.Imagem: Reprodução Youtube/ TheWhittingtonFamily

Veja transformação de menina que se tornou garoto aos cinco anos de idade nos EUA

15 / 16
"Eu sou um garoto", foi uma das primeiras frases formuladas por Ryland, que nasceu menina e adotou a identidade de um menino aos cinco anos de idade.Imagem: Reprodução Youtube/ TheWhittingtonFamily

Veja transformação de menina que se tornou garoto aos cinco anos de idade nos EUA

16 / 16
Ryland, que nasceu meninae adotou a identidade de um menino aos cinco anos de idade, dança com uma menina em uma festa de casamento.Imagem: Reprodução Youtube/ TheWhittingtonFamily


Fonte:http://noticias.uol.com.br/ciencia/ultimas-noticias/redacao/2016/04/11/conversas-cara-a-cara-reduzem-preconceito-contra-transgenero-aponta-estudo.htm#fotoNav=16