SEXO ORAL É MAIS PERIGOSO DO QUE PENSA

Sexo oral é mais perigoso do que você pensa

Sexo oral com preservativos: é uma daquelas coisas que os educadores sexuais pregam, mas que as pessoas raramente praticam. Um lembrete veio recentemente com o lançamento de um relatório do CDC (Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos EUA) observando que “os adolescentes percebem menos riscos relacionados com a saúde para o sexo oral em comparação com o sexo vaginal e anal” e, como resultado, os jovens podem “se colocar em risco de várias DSTs ou até mesmo HIV”.
Há menos riscos relacionados com a saúde, certo? Christopher Hurt, professor da Divisão de Doenças Infecciosas da Universidade da Carolina do Norte, disse “Eu diria que o risco de transmissão de DST através do sexo oral é subvalorizado e subestimado. Como parte de programas de educação sexual, as crianças precisam estar cientes do fato de que o sexo oral não é uma atividade completamente livre de riscos. “Mas, eu me perguntava, o quão perigoso é?
Nikki Mayes, do escritório de mídia do CDC, diz: “Tanto quanto eu estou ciente, não há estudos que quantificam o risco exato para todas as DSTs [através do sexo oral]”. É difícil atribuir infecções a um único ato sexual – a maioria das pessoas que contraem DSTs se envolvem em uma variedade de práticas sexuais de risco potencial.
Mas podemos olhar para o que sabemos sobre os riscos de transmissão de DSTs particulares, começando primeiro com o que assusta mais as pessoas: o HIV. Acredita-se que o maior perigo quando se trata de sexo oral é em relação a quem está sendo passivo (você pode pensar nisso desta maneira: o parceiro receptivo está recebendo o pênis ou na vagina em sua boca. O site da AVERT, uma instituição de caridade internacional sobre HIV e AIDS, explica que a transmissão pode ocorrer quando o “fluido sexual (sêmen ou fluido vaginal) ou sangue (de menstruação ou uma ferida em algum lugar nas regiões genital ou anal) entra em um corte, ferida, úlcera ou área de inflamação em algum lugar em sua boca ou garganta. “
Um estudo da Universidade da Califórnia, San Francisco, colocou o risco de transmissão através da felação “receptiva” com um parceiro HIV positivo em 0,04 por cento. (Para perspectiva, considere que o mesmo estudo encontrou um risco muito maior de contato (0,82%) para o sexo anal receptivo desprotegido). Os pesquisadores calcularam a taxa de transmissão do HIV para 4 em cada 10.000 atos de felação. Sem ejaculação na boca, no entanto, alguns especialistas acreditam que a transmissão do HIV através do sexo oral é praticamente nula.
Quanto ao perigo de ter alguém fazer sexo oral desprotegido em você: “O único risco neste cenário seria que feridas, gengivas ou lábios sangrando na boca da pessoa com HIV positivo pudesse transferir o sangue para as membranas mucosas de suas genitais”.
Agora que já abordado o maior medo das pessoas, vamos voltar para a preocupação mais realista: herpes. Ele apresenta a maior ameaça da transmissão através do sexo oral. Mais arriscado é a transmissão do HSV-1, que normalmente aparece como feridas em torno da boca, mas que podem ser transmitidos a partir da boca para os órgãos genitais. Um estudo descobriu que as mulheres que receberam sexo oral, mas não tiveram relações sexuais vaginais, eram mais de 9 vezes mais propensas a contrair o vírus do que as mulheres sexualmente inativas. (Isso é em comparação com mulheres que só tiveram relação sexual vaginal, que estavam em um risco menor.) HSV-2 também pode ser transmitido com órgãos genitais na boca, embora seja mais raro.
O outro risco que conduz através do sexo oral é a gonorréia, conta Hurt. Clínicas especializadas em DSTs têm relatado que 5 a 10% dos pacientes têm gonorreia na garganta. Mais assustador ainda: casos de gonorréia oral resistentes aos antibióticos estão em ascensão (ou seja, estes casos são mais difíceis de tratar, mas não são incuráveis).
Clamídia e sífilis estão no segundo nível de risco através do sexo oral. Um estudo de Chicago descobriu que 13,7% dos casos de sífilis foram atribuídas ao sexo oral. A doença é “facilmente transmissível” durante o sexo oral – “se a boca de uma pessoa entra em contato com uma ferida aberta ou uma erupção cutânea causada pela infecção”, segundo a AVERT.
Por último, o HPV. Hurt diz, “Nós realmente não sabemos qual é o risco … mas claramente pode infectar dentro e ao redor da boca, bem como no trato genital.” Um estudo descreveu o risco como “pequeno”. Você provavelmente já viu as manchetes assustadoras sobre “sexo oral causa câncer”, mas os cânceres orais vinculados ao HPV são muito raros: aproximadamente 5 por 100.000 pessoas. (E a maioria dos cânceres orais estão ligados ao HPV 16, e nós temos uma vacina para isso agora). [Salon]


Fonte:http://misteriosdomundo.org/sexo-oral-e-mais-perigoso-do-que-voce-pensa/

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

15 SINAIS QUE ELE QUER SÓ SEXO

GUIA ILUSTRADO DE SEXO ORAL EM MULHERES E HOMENS

O QUE É A EJACULAÇÃO FEMININA ?