TAMANHO É DOCUMENTO ? TAMANHO DO PÊNIS IMPORTA, DIZ ESTUDO

1922999_661479857221447_957921156_n

Tamanho é documento 

Tamanho é documento desde que o mundo é mundo, fico imaginando o alter ego dos homens do pinto pequeno, mas vocês homens do pinto pequeno não fiquem triste, rs hoje em dias existem brinquedinhos que pode estimular a mulher, já que o seu pinto não te ajuda, eles irão ajudar!
Nos mulheres quando vemos um homem pelo qual nos interessa, pensando logo qual o tamanho e grossura do “documento” algumas mulheres dizem que não ligam, mas obviamente elas preferem um pau grande e grosso do que um pequeno e fino, que temos que fingir gemidos e orgasmos.Sexar com um cara bem dotado é não fingir orgasmos e os gemidos saírem espontâneo de forma gostosa. Mas o que adianta ter um “documento” exclusivo e bem caprichado e não ser bom de cama? Ai sim prefiro um de pinto pequeno e que fique ali tentando mais que me dê prazer.
O prazer é o que nos mulheres procuramos, tendo pinto grande ou pinto pequeno, queremos é ter orgasmos múltiplos, triplos e o caralho a quatro. Mas se você homem tiver um “documento” grande, por favor, nos dê O R G A S M O S! E você do “documento” pequeno tenta nos da O R G A S M O S, corra atrás do brinquedinhos e nos divirta!Para os homens ter um monumento grande faz com que ele seja bem visitado é claro recomendado, e nos mulheres como boas visitantes não queremos visitar apenas 1 vezes, e sim varias vezes.

Fonte:http://calcinhajusta.com.br/tamanho-e-documento/

1922999_661479857221447_957921156_n


Tamanho do pênis importa, diz estudo



Fonte: Think Stock
Será que tamanho é documento? Quanto maior melhor? E a grossura, importa mesmo? Há um padrão na preferência das mulheres ou cada uma prefere um tamanho? Se você não consegue responder essas perguntas, os cinco itens abaixo vão te mostrar o que elas preferem quando o assunto é o tamanho do pênis ideal.

1) Grossura X Comprimento

Para uma noite e nada mais, o tamanho é o que importa. Mas não é o comprimento do pênis que preocupa as mulheres, e sim a circunferência, de acordo com um estudo feito pela Associação para a Ciência Psicológica de São Francisco. Você concorda?

Fonte: Think Stock

2) O tamanho certo para o momento
Durante o estudo, 41 mulheres observaram e seguraram diversos moldes de pênis impressos em 3D. Os modelos eram azuis e variavam de tamanho (de 10cm de comprimento e 6,5cm de circunferência a 21,5cm de comprimento e 17,5cm de circunferência). Cada mulher teve que escolher um molde para uma noite e nada mais, e um molde para um parceiro de longo prazo. As pesquisas indicaram que quando elas querem só uma noitada, a tendência é preferir pênis com circunferências maiores. Já o comprimento foi o mesmo em ambas as situações (moldes com cerca de 16,5 cm de comprimento são a preferência).


3) Por que o tamanho do pênis importa?

A vagina tem muitas terminações nervosas sensíveis à pressão que detectam as sensações de alongamento, e estes sensores conseguem detectar variações na circunferência do pênis. Um pênis de maior circunferência também pode trazer o clitóris para mais perto da vagina durante a relação sexual, o que ajuda a alcançar o orgasmo, segundo os cientistas.

Fonte: Think Stock

4) Quanto maior melhor?
Por outro lado, um pênis de maior comprimento pode levar a dor cervical, o que é bastante desagradável para a mulher. Estudos anteriores sobre se o tamanho do pênis faz diferença apresentaram resultados contraditórios: Uma pesquisa feita pelo psicólogo da Universidade de West of Scotland, Stuart Brody, com mais de 300 mulheres descobriu que 60% delas não se importam com o tamanho do pênis do homem. Porém, aquelas que têm orgasmos com mais frequência preferem pênis maiores desde que o porte do cara também seja maior.No entanto, muitas dessas pesquisas carecem de precisão, uma vez que foi feita por meio de imagens de pênis ou termos como “pequeno”, “médio”, e “grande” para registrar a preferência das mulheres. Já o estudo foi o primeiro a usar modelos 3D que permitem o contato físico.

5) Elas tendem a superestimar o tamanho do pênis
Na segunda parte do experimento feito pela Associação para a Ciência Psicológica de São Francisco, as mulheres receberam um molde de pênis (dos 33 moldes presentes) e, após a devolução, tiveram que acertar qual dos moldes elas haviam pegado anteriormente.

O resultado foi que elas superestimaram o tamanho dos moldes de pênis que haviam pegado escolhendo um molde ainda maior. A coordenadora da pesquisa, Shannon Leung, aconselha os homens que desejam aumentar o pênis através de cirurgia a não irem adiante, já que de qualquer forma muitas mulheres tendem a superestimar o tamanho do documento.

Fonte:https://br.mulher.yahoo.com/blogs/sexo-oposto/t

Mitos sobre o tamanho do documento

60 anos de pesquisa uniram milhares de informações que derrubam diversos mitos sexuais

Quando o assunto é o que os machos carregam no meio das pernas, o comprimento é o quesito mais importante para os homens, até mais do que para as mulheres, segundo um novo estudo que analisou mais de 60 anos de pesquisas e derrubou inúmeros mitos sexuais.

Conduzida pelos Drs. Kevan Wylie e Ian Eardley, da Porterback Clinic/Royal Hallamshire Hospital, em Sheffield, e do St. James’ Hospital in Leeds, no Reino Unido, a pesquisa combinou resultados de mais de 50 projetos de investigação internacionais sobre o tamanho peniano e a síndrome do pênis pequeno (SPP) conduzidos desde 1942.

Veja o que eles descobriram a seguir e expulse pra sempre a pulga atrás da orelha

#1 -  Ter o pau grande faz toda a diferença
Um pênis grande pode até impressionar, mas a preferência das mulheres é mesmo a espessura. Cerca de 90 por cento delas na verdade prefere pênis mais largos do que compridos, sugerem dois novos estudos incluídos na pesquisa. Cerca de 85 por cento das mulheres relataram estar satisfeitas com o tamanho do pênis de seu parceiro, enquanto apenas 55 por cento dos homens estavam satisfeitos com o tamanho do próprio pênis.

#2 - As mulheres cansam de pinto pequeno
"A atratividade é uma questão complexa para as mulheres, e segundos os dados, o tamanho do pênis está no final da lista de prioridades delas, ao contrário de questões como a personalidade de um homem e aparência", escrevem os pesquisadores. Com base nos resultados de 12 estudos relevantes, a pesquisa, detalhada no British Journal of Urology (BJU) International, diz que o pênis ereto médio tem cerca de 5,5 - 6,2 cm de comprimento e cerca de 4,7-5,1 cm de circunferência.
#3 - O tamanho varia de acordo com a origem do indivíduo
As descobertas também acabam com outros mitos sobre a genitália masculina. A noção de que o tamanho peniano varia de acordo com a raça, por exemplo, é falsa.

#4 - O pênis encolhe com a idade
Outro mito que se repete normalmente é de que homens mais velhos tendem a ter pênis menores. No entanto, Wylie e Eardley não encontraram diferenças quando combinaram os resultados de todos os estudos juntos.

#5 -  Dispositivos para alargamento de pênis funcionam 
Estudos recentes que descobriram que os dispositivos para alargamento do pênis raramente funcionam, mas em alguns casos podem dar um "apoio psicológico". Os autores ainda aguardam os resultados de cirurgias experimentais de alargamento do pênis, que incluem de tudo: desde a separação parcial dos ligamentos do pênis -- para que ele se projete mais para fora do corpo -- até injeção de gordura para aumentar a grossura. Um dos procedimentos mais radicais envolve o implante de um pedaço de cartilagem pênis após estender seu comprimento.

Os pesquisadores apontam alguns métodos antigos testados para aumentar o pênis, mas estes não são mais confortáveis. Homens indianos Sadhus, por exemplo, usam pesos, enquanto algumas tribos indígenas do Brasil encorajam cobras venenosas a picar seus membros para obter um aumento de tamanho que durava em torno de seis meses.


Pênis, where are you from?

Pesquisa aponta qual é o tamanho médio do documento conforme o país de nascimento

Sabe aquele cara que nunca toma banho no vestiário da pelada com os amigos? Provavelmente ele não gostaria que seus camaradas pudessem observar o tamanho do "documento", que deve ser semelhante ao dos coreanos. Segundo pesquisa, a média do tamanho do pênis desses asiáticos ereto é de 9 cm, é o que afirma o estudo encabeçado pelo professor de psicologia Richard Lynn da Universidade de Ulster, na Irlanda do Norte, que calculou o tamanho médio do pênis dos homens de diferentes países, chegando à conclusão que os homens do Congo têm os maiores documentos do mundo comparados a homens de outras nacionalidades, chegando a 18,03 centímetros quando ereto.

Lynn é uma figura controversa da ciência, bastante conhecido por expressar a visão controversa de que pressões evolutivas levaram a diferenças raciais e nacionais de inteligência, sendo que certas raças têm evoluído para serem mais inteligentes que outras. 

O professor também aponta que as diferenças raciais mostram diferenças no comprimento do pênis, mas fique tranquilo se você não chega perto do tamanho dos homens do Congo, pois os brasileiros não foram incluídos na lista que analisou 17 nacionalidades.

Confira o tamanho médio do órgão em estado de excitação nos países abaixo:

1º - República do Congo: 18,03 cm
2º - Equador: 17,78 cm
3º - Gana: 17,27 cm
4º - Colômbia: 17,02 cm
5º - Islândia: 16,51 cm
6º - Itália: 15,75 cm
7º - África do Sul: 15,24 cm
8º - Suécia: 14,99 cm
9º - Grécia: 14,73 cm
10º - Alemanha: 14,48 cm
11º - Nova Zelândia, Reino Unido, Canadá, Espanha: 13,97 cm
12º - França - 13,46 cm
13º - Austrália, Rússia: 13,21 cm
14º - EUA: 12,95 cm
15º - Irlanda, Romênia: 12,7 cm
16º - China, Índia: 10,16 cm
17º - Coréia do Sul, Coréia do Norte: 9,65 cm

Por que o pinto tem esse formato?

Psicologia evolucionária revela o que está por trás do design peniano e em que momento o tamanho é documento

Isso pode ser mais comum durante a infância, mas o fato é que todo homem já olhou para o seu próprio pau e fez a pergunta que abre esta matéria. Afinal, diante de tantas possibilidades, o que levou a natureza a esculpir o órgão sexual masculino dessa forma? Se você pensa que o tamanho não importa e que o pinto não passa de uma vareta pra “injetar” esperma na fêmea, as pesquisas do psicólogo evolucionário Gordon Gallup podem te fazer mudar de ideia.

Num artigo publicado no jornal Evolutionary Psychology, Gallup apresenta sua Teoria de Deslocamento de Sêmen, em que afirma que o formato da ponta do pênis é essencial na competição pela fecundação. Segundo ele, a parte inferior que liga a cabeça ao corpo do órgão age como uma espécie de pá, eliminando como um quebra-gelo o esperma de parceiros anteriores da mulher.

Estudos feitos a partir da ressonância magnética de casais heterosexuais transando revelaram ainda que, durante o coito, o pênis geralmente se expande e preenche completamente a vagina -- em alguns casos, ele poder chegar até colo da mulher, elevando seu útero. Isto combinado com o a ejaculação potente do ser humano (que pode chegar a mais de um metro de distância), sugere que os homens foram projetados para liberar esperma no ponto mais alto da vagina possível. Além disso, sucção gerada pelo movimento sincronizado durante a relação sexual facilita ainda mais o processo.

Em comparação com outros primatas, o pênis humano é, no geral, pelo menos o dobro do tamanho quando ereto. Além disso, os chimpanzés, gorilas e orangotangos possuem orgãos genitais mais retilíneos, onde a glande ( a “cabeça”) não possui a crista coronal como o pênis do homem. A adaptação biológica nem sempre é o caminho para entendermos de que maneira essa mudança ocorreu -- um bom exemplo disso é o sangue, que é vermelho por conter a proteína hemoglobina, embora não haja qualquer objetivo aparente para a coloração. De qualquer maneira, o formato do instrumento deu a nossos ancestrais uma vantagem competitiva em termos de sucesso reprodutivo. 
Outros animais também foram “presenteados” com órgãos sexuais bem específicos, embora a vantagem às vezes exija um preço alto, pago principalmente pelas fêmeas. Este é o caso dos dos gatos, cujo pênis vem equipado com uma fileira de cerca de 150 espinhos em formato de anzol, que literalmente arranham as paredes da vagina da gata (você pensava que os gemidos no telhado eram de prazer?). Esta “tortura”, na verdade, tanto desencadeia a ovulação como também dispersa o esperma dos machos que cruzaram com o animal recentemente.

Benefícios do sexo oral para as mulheres

Prática com parceiro fixo pode prevenir a depressão, além de diminuir a sensação de enjoo na gravidez

Só a ciência mesmo para convencer aquilo que todo mundo já sabe, mas tem vergonha de admitir. Desta vez, foi a State University of New York, nos Estados Unidos, que se aprofundou em pesquisas relacionadas aos benefícios do sexo oral para a mulher. Os especialistas concluíram que o contato com o sêmen deixa as fêmeas mais felizes.

Tal comprovação se dá pelo fato de o esperma tem substâncias antidepressivas, como cortisol, estrogênio, oxitocina e, principalmente, seratonina, o mais famoso dos neurotransmissores contra esta doença. Os pesquisadores compararam as vidas sexuais e as condições mentais de 293 mulheres. Mas esses resultados têm mais eficácia quando se faz sexo numa relação séria, ou seja, com um parceiro fixo que permita a dispensa de preservativos.

Ainda de acordo com o estudo da State University, mulheres celibatárias ou com um certo “atraso” têm mais sintomas de depressão que as sexualmente ativas. Em compensação, aquelas que transam com vários parceiros, o que exige o uso de camisinha, apresentam os mesmos níveis depressivos que as “encalhadas”. 

Já um trabalho de pesquisa realizado pela Universidade de Albany, também de Nova York, constatou que o sexo oral pode diminuir o enjoo matina na gravidez. É o que defende o psicólogo Gordon Gallup, responsável pelo estudo, que recomenda à prática às gestantes. 

Gallup diz que a ingestão do esperma deixa o corpo mais imune ao mal-estar. Para provar que as experiências estão longe de serem promíscuas, ele fez uma relação entre o sexo oral e a redução dos casos de pré-clampsia, um problema que atinge a placenta.

Aos homens que têm namoradas que sentem “nojinho”, agora há argumentos científicos e benéficos à saúde para convencê-las. 

Fonte:http://www.areah.com.br/vibe/corpo/materia/41382/1/pagina_1/materia.aspx

Quer saber o real tamanho do seu pênis? Consulte uma ex-namorada


APENAS ELAS PODEM LHE FALAR SE AS EXPECTATIVAS CORRESPONDEM À REALIDADE


Pênis (Foto: GQ)
Pergunte a si mesmo: você conhece, de fato, seu próprio pênis? Aposto que a resposta vai ser “conheço muito bem”. Agora repita a pergunta, mas de um jeito diferente: o que uma crítica de pênis diria sobre ele? Num mundo onde existem 3,5 bilhões de pintos, onde é que o meu se encaixa?

Fiquei pensando nisso (talvez pensando até demais, mas enfim). Como descobrir a resposta para esse mistério essencial? Aí me dei conta de que conheço algumas críticas de pênis: elas atendem por “ex-namoradas”. Felizmente, minha turma faz o gênero safadinha e sincera. Descobri que elas estavam inteiramente dispostas a saciar minha curiosidade. E nem sempre a verdade era o que eu queria ouvir.

“Seu pinto não é exatamente pequeno”, disse L., uma ilustradora que vive em Chicago (a identidade das críticas de pênis foi alterada para benefício de todos). “Ele puxa para o pequeno, mas é grosso e dá conta do recado.” L. me contou que a maioria dos pintos que ela viu se encaixa na categoria tamanho médio, à exceção de alguns mais memoráveis, que saíam da curva. Uma vez ela namorou um lutador de MMA que tinha um treco “monstruoso, cheio de veias”. O cara era meio babaca. “Tinha um excesso de confiança que funcionava bem em situações sexuais”, ela explicou, “mas não num relacionamento de longo prazo”.

Tamanho, evidentemente, era minha principal área de interesse. Entretanto, logo me dei conta de que os sentimentos de uma mulher por um pênis têm incontáveis nuances e texturas. Meu saco, L. explicou, é de tamanho normal. Peraí, retruquei. Existem homens com sacos anormais? Claro, ela respondeu. Ela já havia saído com um cara cujas bolas eram grandes a ponto de ser material de estudo para a ciência. Outro ponto a meu favor: minha inclinação é bem retinha. Ela contou que já namorou uns “bumerangues” – caras com pintos tortos, em formato de banana. O problema, nesse caso, é atingir o ponto G. Mas o que ela mais apreciava no meu amigão era a firmeza. Não entendi, eu disse. Paciente, ela explicou que alguns exemplares da espécie são meio molengas até quando estão eretos. Por outro lado, outros eram duros demais: um ex-namorado tinha um peru que mais parecia um pincel atômico. “Quando a gente transava, era como se eu estivesse sendo analisada por uma sonda alienígena.” Fiquei bolado com essa história.
 
Tamanho Pênis (Foto: Luc Melanson)

 
“O que as outras falaram do seu pinto?” Essa foi a primeira pergunta que ouvi de S., uma professora de Kansas City, com quem falei por telefone. Respondi que não queria deixá-la sugestionada. “Bom”, ela começou, “você é menor do que a média, mas tem diâmetro. Minhas amigas te chamavam de Parrudinho”.

Eis outra coisa que aprendi. As mulheres não apenas têm algoritmos complexos para avaliação peniana: tudo indica que elas também inventam apelidinhos fálicos para os namorados das amigas. Botei S. contra a parede: “Tudo bem, meu pinto é pequeno. Mas quão pequeno?”. Nesse momento o marido dela chegou em casa, trazendo os filhos pequenos. Ouvi ela gritando: “Não, é o Davy. Lembra dele? Ele quer saber qual o tamanho do pinto dele em comparação com outros caras com quem transei”.

“Olha só, tenho que desligar”, ela falou. “Mas seu pau é ótimo, tá bom?”

Fiquei na esperança de que K., uma editora de Houston, me desse uma resposta definitiva sobre minhas dimensões em comparação com a média. Tínhamos namorado há mais de dez anos, mas eu sabia que ela se considerava uma espécie de ninfomaníaca. “Já vi uns 100 pintos na vida”, ela disse. E onde fica o meu nesse ranking? “Se o 1º fosse o menor e o 100º o maior, você estaria em 33º.” Voilà, finalmente. A cada três caras sentados ao meu lado no bar, dois tinham pintos maiores e um tinha um pinto menor do que o meu. Parecia justo.

Mas se o meu era “ótimo”, pensei, existiria um pinto tão pequeno a ponto de não ser ótimo? K. contou a história de outro ex-namorado. Ele tinha um minipinto. “Sexo oral com ele era como chupar o dedo. Às vezes eu pensava: ‘Meu Deus, é isso o que me aguarda pelo resto da vida?’. Eu me sentia penetrada por um mindinho.”

Ouvi isso e me contorci de aflição. Haveria esperança para o sujeito que pegara o menor palitinho da Mãe Natureza?

“Homem com pau pequeno tem que ser bom em outras coisas”, ela explicou. “É preciso ser um mestre com as mãos. Eu adoro! Prefiro um cara que sabe usar as mãos do que um bem dotado.”
 

Maior nem sempre é melhor

"Quer dizer, é claro que em geral maior é melhor, caso o membro em questão seja um pinto pertencente à escala que vai do salsichão no espeto à salsichinha do mini-dog infantil. Porém, apesar do que diz o astro pornô Ron Jeremy naquele banner do site PornHub, maior nem sempre é melhor. Um pênis não é uma baguete de metro. É uma ferramenta que vem presa a um ser humano de verdade (espera-se). E as coisas que você faz com ele são mais importantes para nós, mulheres, do que o tamanho. Já namorei um cara que tinha um pau tipo Colosso de Rodes – uns 20 centímetros. Por ser bem dotado, ele se sentia tão seguro que não fazia nada além de bombar, estilo bate-estaca. Nada divertido. Por outro lado, a melhor transa que tive foi com um cara de pinto abaixo da média. Mas ele sabia os truques. E tinha uma paixão vital na cama que superava Roberto Benigni em A Vida é Bela. Mais importante: ele tinha confiança. Aliás, essa é a única coisa realmente importante que o tamanho garante a um homem: o orgulho de entrar nu em um quarto, certo de que deixará a mulher paralisada de prazer. O que importa não é ter um taco de beisebol entre as pernas. É pensar que se tem." -Siobhan Rosen, jornalista.

Fonte:http://gq.globo.com/Prazeres/Relacionamento/noticia/2014/05/quer-saber-o-real-tamanho-do-seu-penis-consulte-uma-ex-namorada.html

Quanto maior o pênis, mais chances de ser traído, afirma pesquisa

UM ESTUDO POUCO CONVENCIONAL FEITO NO QUÊNIA MOSTROU QUE, EM FUNÇÃO DA INSATISFAÇÃO SEXUAL CAUSADA PELO EXCESSO DE CENTÍMETROS, MAIS MULHERES BUSCAM RELAÇÕES EXTRACONJUGAIS

Traição (Foto: Getty Images)

 
Levante a mão quem já foi traído. Parabéns, se você ergueu a sua. Não, não há nada de bom em ter sido deixado para trás por uma mulher. Acontece que, segundo um estudo feito por pesquisadores no Quênia, ao contrário do que todos nós poderíamos supor, homens que foram enganados pelas respectivas esposas têm pênis maiores do que os demais.

Foram entrevistados 545 casais no país africano para que fossem entendidos melhor os relacionamentos entre eles e, mais especificamente, para que fossem identificados os motivos que faziam as mulheres ser infiéis. Os pesquisadores perguntaram qual era o tamanho do pênis do sujeito e deram uma régua de quase 40 centímetros para ajudá-los a estimar. O homem dizia o tamanho, a mulher dava a versão dela, e os responsáveis pelo estudo ou tiravam a média entre os dois, ou confiavam na pessoa que parecesse mais honesta.

“Cada polegada de pênis a mais aumentou a probabilidade de a mulher estar envolvida em um relacionamento extraconjugal”, escreveram os pesquisadores no jornal científico PlosOne. “As mulheres associaram pênis grandes com dor e desconforto durante o sexo, e isso as impedia de ter a alegria e a satisfação sexual que as mulheres devem sentir”.

Uma das moças entrevistadas, inclusive, chegou a dar um depoimento bastante específico. Ela disse... “Alguns pênis são maiores, mas a minha vagina é pequena. Quando ele tenta colocá-lo dentro dela, doi tanto que eu tenho de procurar por outro homem que tenha um menor e que possa fazê-lo de um jeito que eu goste”.

De acordo com o estudo, 6,2% das 545 mulheres entrevistadas tiveram affairs no período de seis meses que compreendeu a pesquisa. Outros fatores mencionados foram violência doméstica, rejeição ao sexo, proibição de alguma posição sexual, ter menos de 25 anos e a falta de satisfação sexual. A razão por trás do levantamento é nobre: os pesquisadores acharam que, se identificassem os motivos das mulheres para fazer sexo desprotegido, poderiam prevenir uma onda de HIV que tem se espalhado pela região.

Fonte:http://gq.globo.com/Prazeres/Relacionamento/noticia/2014/04/quanto-maior-o-penis-mais-chances-de-ser-traido-afirma-pesquisa.html

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

15 SINAIS QUE ELE QUER SÓ SEXO

GUIA ILUSTRADO DE SEXO ORAL EM MULHERES E HOMENS

O QUE É A EJACULAÇÃO FEMININA ?