COMPORTAMENTO HOMOSSEXUAL É NORMAL ENTRE ANIMAIS E AVES

Leões africanos

Sexo gay no mundo animal

O comportamento homossexual não é exclusivo de seres humanos. Vários casos já foram documentados em que animais procuravam parceiros do mesmo sexo para acasalar. Foram observados casos explícitos de comportamento homossexual na natureza – não só o ato sexual – mas animais fazendo a corte a outros, andando sempre em pares e demonstrando afeição.
As motivações para esse comportamento, tanto nos bichos quanto nos seres humanos, ainda não foram inteiramente explicados pela ciência. O que se sabe é que a relação homossexual nos animais é diferente do que nos humanos.
Humanos buscam sexo por prazer e a maioria dos animais não, eles tem motivos estritamente reprodutivos. Os cachorros, por exemplo, só fazem sexo quando a cadela está no cio. Ela libera hormônios e ferômonios que sinalizam que está em um período fértil.
Mas então porque cachorros machos, frequentemente, foram observados copulando ou tentando copular?
De acordo com especialistas, eles são motivados por cheiros e hormônios que os fazem agir assim. Já foram feitas pesquisas com cadelas que, depois de receberem uma dose de hormônio masculino, procuraram outras cadelas, mesmo com nenhuma estando no cio.
Um dos casos mais conhecidos de homossexualidade em animais é o dos pingüins do Central Park Zôo, em Nova York. Roy e Silo, dois pingüins machos, copularam. Depois, foram presenteados pelo pessoal do zoológico com um ovo. Para que o ovo se tornasse um pequeno pingüim, eles precisavam chocá-lo e tomar conta dele. O que realmente aconteceu. O casal gay do zoológico tem seu filhote e cuida muito bem dele.
Isso, para os cientistas, foi mais uma prova de que o homossexualismo animal tem raízes diferentes do homossexualismo humano. Os pingüins receberam o ovo com naturalidade e não o rejeitaram porque, para eles, era natural que depois da cópula eles recebessem um ovo – era esse o propósito de copular.
Conheça outros animais que apresentaram comportamento homossexual:
  • Gaivotas – sabe-se que mais de 15% da população feminina de gaivotas é lésbica.
  • Cisnes negros – casais machos já foram observados roubando o ninho e os filhotes de outros cisnes. Também podem se associar a uma fêmea apenas para obter o ovo.
  • Boto cor-de-rosa – foram reportados casos de enormes “orgias”. Grandes grupos se “esfregavam” um nos outros, sem importar o sexo.
  • Bonobo – o bonobo é um primata cuja sociedade é matrifocal, focada na fêmea mais forte, e não no macho, como é comum entre espécies similares. Na sociedade do bonobo, o bissexualismo é comum e estes animais fazem, como os humanos, sexo por prazer.
Outros animais conhecidos por já terem apresentado comportamento homossexual são: elefantes, girafas, leões, hienas e ovelhas. A lista inclui até mesmo animais improváveis, como libélulas e moscas-da-fruta.
Confira a lista completa aqui[Wikipédia]
E para descontrair um vídeo sobre sexo gay animal em inglês, de humor:

Ricky Gervais - Gay Animals (Animals) 

Comportamento de bonobos prova que homossexualidade é normal entre animais


As selvas da República Democrática do Congo, no centro da África, formam o único lar no planeta Terra para o bonobo (Pan paniscus), uma espécie de primata famosa pelo comportamento pacífico e uma convivência quase “hippie” dentro das pequenas tribos em que se organizam.
Bonobos são naturalmente bissexuais. Relacionamento carnal entre indivíduos do mesmo gênero ocorre o tempo todo, segundo uma série de estudos que observaram as tendências dos animais. O sexo é usado não apenas como instrumento de diversão, mas também como forma de premiar um parceiro, ou consolá-lo, e é inclusive utilizado para resolver conflitos.

Durante a vida, um bonobo registra um incontável número de parceiras e parceiros – geralmente, várias e vários em um único dia. De toda a atividade sexual registrada pela espécie, 75% não têm fins reprodutivos, um índice muito acima dos demais primatas.
As tribos de chimpanzés, por exemplo, são marcadas por disputas nas quais os machos mais fortes dominam os mais fracos para poder acasalar. Entre bonobos, essa realidade é inexistente: o grupo vive em um estado de atos sexuais sem culpa e sem agressividade.
Por falar em comparações de ordem animal, aliás, os bonobos são os nossos parentes mais próximos, ao lado dos chimpanzés. A sociedade, segundo alguns estudos, é classificada como matriarcal, já que as fêmeas em geral escolhem os melhores companheiros (ou companheiras) devido às fortes relações que estabelecem entre si. [Knowledge Nuts Galileu BBC]


10 animais que praticam a homossexualidade


Durante muito tempo, os biólogos fizeram de conta que não estavam vendo. Agora, não dá mais para esconder: o comportamento homossexual é bastante comum na natureza, e não é restrito a mamíferos; aves e insetos também o apresentam.
Mais além, não se tratam de relações fortuitas – alguns animais realmente formam casais homossexuais que passam juntos a vida toda, chegando a criar filhotes às vezes doados por casais heterossexuais, às vezes resultado de uma “escapada” de uma das fêmeas.
Veja apenas alguns exemplos de animais que praticam a homossexualidade:

10. Carneiros


Às vezes contamos carneirinhos para dormir, mas as tendências naturais dos carneiros têm tirado o sono dos cientistas. Os carneiros domésticos estão, estatisticamente, entre os mamíferos mais gays que existem. Estudos científicos mostraram que a proporção de carneiros machos que formam pares de machos e nunca mais tem contato com fêmeas chega a incríveis 8%.
Os casais do mesmo sexo não reproduzem, mas agem como um par em todos os outros aspectos de suas vidas. Os rebanhos homossexuais se destacam como um exemplo do status do relacionamento diversificado entre os animais, mas não fazem muito sucesso com os fazendeiros, que estão interessados em conseguir o maior número de filhotes possível.

9. Albatrozes de Laysan


Em 2007, cientistas que estavam estudando os albatrozes de laysan de Oahu notaram que 60% das aves eram fêmeas, e que 31% de todos os pares eram de fêmeas lésbicas. Estes pares de pássaros fêmeas exibem todo o comportamento de um casal, fazem ninhos, dão “beijo de bico”, e uma variedade de outras atitudes reprodutivas.
Os albatrozes de laysan são normalmente bastante defensivos quando percebem invasores, o que indica que a aceitação de outra fêmea é uma formação de casal verdadeira. Os pares de mesmo sexo podem durar tanto quanto tempo quanto os pares tradicionais – em um caso observado, chegou a 19 anos. Na Nova Zelândia, um par do mesmo sexo de albatrozes reais, que são maiores, foi visto cuidando de um ninho, o que sugere que este comportamento é comum.

8. Golfinhos nariz-de-garrafa


Em termos de inteligência, os golfinhos estão entre a nata dos animais. Em capacidades cognitivas e sociais, eles são comparáveis aos chipanzés e humanos. Dentro das sociedades dos golfinhos também existe grande diversidade, e numerosas relações do mesmo sexo já foram identificadas.
Em um caso inacreditável, um par de golfinhos gays mantiveram um relacionamento por 17 anos, e pesquisadores identificaram um bando inteiro de golfinhos composto apenas de machos. Ficou claro que os relacionamentos entre os golfinhos são fortes, não importando a orientação sexual dos mamíferos marinhos envolvidos. Também foram identificados golfinhos bissexuais, que mantinham contatos apaixonados com membros do mesmo sexo e do sexo oposto.

7. Bonobos


Os bonobos, que se parecem com chipanzés, não estão apenas entre os animais mais inteligentes, mas também são os nossos “parentes” mais próximos. Estes macacos, que vivem em colônias altamente sociais, são mais gentis quando comparados com seus parentes mais violentos, os chipanzés, e são famosos por usar uma linguagem de amor, em vez de uma linguagem de agressão, para resolver problemas e se comunicar.
Muitos dos conflitos acontecem entre dois machos ou entre duas fêmeas, o que indica que relacionamentos homossexuais acontecem com frequência entre estes primatas. Encontros sexuais servem para melhorar o status social das fêmeas, mas também acontecem entre machos, mais frequentemente em um contexto de “lutinhas”.

6. Galo-da-serra peruano




Os galos-da-serra peruanos são fantásticas aves canoras com uma aparência dramática, combinando uma cor laranja brilhante com uma enorme crista. Cerca de 50% dos machos da espécie praticam sexo homossexual.
Diferente das aves que vimos antes, somente os machos desta espécie procuram encontros homossexuais. É possível que o comportamento gay seja resultado de uma densidade populacional alta, e uma competição enorme pelas fêmeas. Os encontros homossexuais satisfazem o desejo da ave de expressar sua promiscuidade e copular, e assim acaba também aumentando a estabilidade social entre estes pássaros, que normalmente são nervosos.

5. Leões africanos


Os leões africanos são normalmente símbolos de liderança tradicionais, principalmente em sociedades patriarcais que envolvem haréns de fêmeas. Entretanto, uma certa porcentagem de leões africanos machos abandonam as fêmeas disponíveis para formar seus próprios grupos homossexuais.
Leões machos já foram documentados montando outros machos e se envolvendo em uma variedade de comportamentos que normalmente são reservados a casais de animais do tipo macho-fêmea. Apesar de muitas sociedades animais serem estruturadas de forma a favorecer casais do mesmo sexo, a razão para as associações entre leões machos é desconhecida. Os leões são os felinos com o maior desejo sexual, o que pode significar que estes encontros sejam mais “significativos” que as interações homossexuais entre carneiros ou aves.

4. Aves aquáticas e pinguins


comportamento homossexual já foi documentado na natureza entre cisnes negros australianos, que às vezes formam trios, envolvendo dois machos que estabelecem um local para nidificar. Incrivelmente, os arranjos que envolvem dois machos acabam tendo mais sucesso na criação de filhotes, devido a sua efetividade em defender o local do ninho de predadores.
Ainda falando de aves, dois pinguins machos viraram manchete depois de formarem um casal em um zoológico, e receberem um ovo que acabaram criando com sucesso. Antes de receberem seu próprio ovo, o casal de pinguins gays tentou roubar ovos de casais de pinguins heterossexuais.
Os ornitologistas que estudam o fenômeno notam que, em geral, pares de aves machos se formam entre espécies canoras mais promíscuas, enquanto pares de fêmeas se formam em espécies monógamas. Apesar deste comportamento ser normal em algumas espécies, a pesquisa científica indica que um aumento nas taxas de casais do mesmo sexo entre os íbis sul-americanos pode ser o resultado de intoxicação por mercúrio, resultante de minerações, que estaria alterando seus hormônios sexuais.

3. Gaivotas ocidentais


As gaivotas ocidentais se parecem com os albatrozes de laysan, mas são mais aparentados com os papagaios do mar. A evolução convergente deu a elas uma semelhança com os enormes albatrozes, e também um sistema de procriação semelhante, novamente envolvendo duas fêmeas.
Expedições científicas realizadas às Ilhas do Canal da Califórnia (EUA) revelaram que não menos de que 14% dos casais de gaivotas eram de fêmeas. A diversidade nas colônias foi notada primeiro quando alguns ninhos foram encontrados com quantidades maiores de ovos. E alguns ovos estavam até fertilizados, devido a algumas “escapadas” com gaivotas macho.

2. Girafas

Jovens girafas machos, antes de terem algum contato sexual com uma fêmea, às vezes têm alguns encontros homossexuais e alianças temporárias. As atividades dos casais gays incluem beijo de língua, massagem de pescoço e “abraços”, bom como contato corporal total e aninhamento.
Acredita-se que o objetivo dos contatos com elementos do mesmo sexo é desenvolver alguma familiaridade com as técnicas de acasalamento antes de usá-las com uma girafa fêmea. Na pequena comunidade que é um bando de girafas, parece que a ideia é chegar bem nas meninas logo de cara, e, para isto, eles treinam com meninos antes.

1. Libélulas


É fato: insetos podem ser gays. As libélulas estão entre os predadores mais evoluídos do mundo dos insetos, e também estão entre os mais exibicionistas, fazendo balés voadores espetaculares, bem como encontros sensuais com outras libélulas.
Mas a presença do sexo oposto nem sempre é um pré-requisito para o namoro das libélulas. Investigações revelaram uma frequência surpreendentemente alta de encontros entre libélulas do mesmo sexo. A compreensão do motivo destes encontros entre invertebrados é um desafio, e até hoje são pouco compreendidos. A química ambiental e a falta de disponibilidade de parceiros podem ser fatores que influenciam o comportamento.[Listverse]

Entenda a homossexualidade entre as aves

Ganso-bravo

Você entende alguma coisa sobre gansos? Existe uma espécie, chamada de Ganso-bravo, que é muito pitoresca. Para começar, ele é chamado em inglês de “Greylag Goose” (ganso da perna cinza) apesar de suas pernas serem rosadas. Mas não é só isso: apesar do nome intimidatório, um em cada cinco casais do Ganso-bravo é composto de dois homens. Exatamente: o homossexualismo representa 20% da população. Mas eles não são os únicos: mais de 130 espécies de aves, segundo levantamento recente, são conhecidas por comportamento homossexual, ao menos ocasionalmente, condição que está dando o que discutir aos cientistas.
As relações homossexuais entre aves são tão ou mais evoluídas do que em humanos: há realmente pássaros machos cortejando outros machos, relações sexuais entre pássaros do mesmo sexo e casais homossexuais dividindo o mesmo ninho. E mais: em algumas espécies existe o hábito de um casal do mesmo sexo criar filhotes (concebidos por outro casal, claro, e que acabaram ficando órfãos de alguma maneira) juntos, algo para o qual a lei dos humanos cria tantas complicações.
Alguns biólogos viam com maus olhos essa “tendência gay” entre os pássaros. Não por preconceito (esperamos), mas porque reduziriam o fluxo de reprodução normal da espécie, desequilibrando o ecossistema. Preocupação infundada: uma pesquisa da Universidade de Newcastle (Inglaterra) mostra que isso não altera o ciclo reprodutor dos pássaros.
Motivo: mesmo que os pássaros se envolvam em relações homossexuais, continuam a ter parceiras do sexo feminino. Esse comportamento, que é mais comum das espécies poligâmicas (onde um pássaro macho pode ter – e tem – várias companheiras), faz dos pássaros algo como bissexuais, embora os cientistas expliquem que essa comparação não é tão simples.
As investigações dos cientistas não indicaram registros de que existam aves exclusivamente gays. Assim, eles se engajam em relações homossexuais com algum propósito, que pode ser para adaptação a um ambiente, demarcação de território ou ajuda para criar os filhotes, no caso de ausência da mãe. Os cientistas, agora, procuram saber se os primatas podem apresentar esses mesmos padrões de comportamento, o que deve fornecer algumas explicações importantes[Live Science]

Fonte:http://hypescience.com/

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

15 SINAIS QUE ELE QUER SÓ SEXO

GUIA ILUSTRADO DE SEXO ORAL EM MULHERES E HOMENS

O QUE É A EJACULAÇÃO FEMININA ?