A SEXUALIDADE BIZARRA DOS TEMPOS MODERNOS


          A nudez choca você? (Foto: iStock)

Festival independente terá cabine 

do Banco Mundial da Genitália

Se eu contasse para você quantos e-mails recebo por dia perguntando quais as opções para quem quer aumentar o pênis, qual o tamanho que dá mais prazer para as mulheres ou se o tamanho realmente importa vocês ficariam chocados.
E não são apenas os homens que têm insegura em relação a sua genitália. Mulheres cada vez mais se preocupam com cor, forma e simetria da vagina. Além, é claro, da velha briga interior entre depilar ou não depilar-se totalmente.
Essa busca pela genitália perfeita é algo que tomou conta do mundo nos últimos anos e a tendência, com padrões estéticos cada vez mais influenciados por intervenções gráficas, a utilização do famoso photoshop é uma dos vilãs, é de que isso apenas piore. Tudo o que é natural parece errado e as cirurgias desnecessárias tornam-se práticas banais.
Por esse motivo estão surgindo no mundo todo sites em que é possível ver o corpo normal, sem retoques, apenas uma representação da verdade. É o caso do Nu Project, que fotografa mulheres normais nuas, do Great Wall of Vagina, que faz moldes em gesso de vaginas, e do Large Labia Project, que tem fotos bastante explicitas de vaginas, incentivando que mulheres não façam plástica por se sentirem fora do padrão com lábios vaginais grandes.
E no Brasil temos o Banco Mundial da Genitália. A proposta desse banco de fotografias é banalizar a imagem de pênis e vaginas, que são partes do corpo que praticamente todas as pessoas têm e não deveriam ser motivo de tantos problemas, vergonha ou tabus. Muito menos definir caráter ou ser motivo de discriminação.
No dia 12 de abril, como parte do Festival Baixo Centro, em São Paulo, haverá uma cabine fotográfica para que as pessoas possam participar do projeto. Além disso, serão colados lambe-lambes pela cidade com a intenção de divulgar o propósito do site.
Outros eventos também neste festival acontecerão de 5 a 14 de abril. Para participar basta escolher o que interessa e estar presente no local e data marcados. A festa é independente, sem apoio de governo ou instituições, gratuita e será realizada com dinheiro de doações feitas pela internet – para doar você deve usar o site Catarse.
Uma boa chance para rever seus conceitos estéticos, ouvir música, participar de oficinas artísticas e ver que o mundo pode oferecer muito mais do que as redes de TV e revistas de banca querem que você acredite. Além de, é claro, se apropriar da cidade que estava sendo esquecida por seus moradores. Dê essa chance para você.

Plástica vaginal antes dos 15 anos. O que está acontecendo com nossas garotas?

Esse é um assunto triste. De verdade. É um assunto que vai muito além da relação feminina com o sexo. Ele mostra um pouco da relação feminina com si mesma, com o ser mulher e também a relação masculina com o corpo das garotas.
O jornal Daily Mail publicou que aproximadamente 340 garotas com 14 anos ou menos, no Reino Unido, já fizeram cirurgias íntimas por motivos estéticos. Isso mesmo, apoiadas por pais e médicos, meninas que não têm o corpo totalmente desenvolvido — nem o emocional — estão transformando seus corpos para entrar em um padrão de beleza que não existe.
o fazer uma busca na internet você encontra diversas ofertas desse tipo de operação "em até 36 vezes". Mas, por aqui, a moda ainda não foi tão difundida e está mais forte entre as subcelebridades. O problema é que as chances disso crescer, por falta de informação somada a muita publicidade, são grandes.
Encontrar dados sobre os riscos dessas cirurgias não é algo fácil, diferente do que acontece com os ditos benefícios. O que esses sites, e muito médicos loucos por dinheiro, não explicam é que anomalias labiais, que pedem mesmo uma reparação, são extremamente raras.
Mundialmente, psicólogos e estudiosos culpam a pornografia e a TV, em que mulheres têm seus corpos retocados computadorizadamente e parecem seguir o mesmo padrão. Porém, o que é esse padrão? Ginecologistas e cirurgiões plásticos, que oferecem o procedimento, não têm um consenso. Então o que é oferecido para cada mulher?
De acordo com a antropóloga Thais Machado-Borges, do Instituto de Estudos Latino-Americanos da Universidade de Estocolmo, Suécia, autora do estudo "Um olhar antropológico sobre a mídia, cirurgia íntima e normalidade", esse padrão de normalidade vem de imagens de mulheres nuas, da mídia (que pode ser TV, publicidade, revistas, cinema e até mesmo a imprensa) e os materiais didáticos, com desenhos padrão do órgão sexual feminino.
Os lábios vaginais são zonas erógenas, têm muitas terminações nervosas e podem tornam a vida sexual feminina um terror depois de passarem por cirurgias mal sucedidas. Totalmente o contrário do que se busca com a prática.
Ainda mais assustador do que crianças buscando essas cirurgias influenciadas pela sexualização precoce, são adultas que veem nesse procedimento a chance de transformar suas vaginas em algo que lembra o corpo de uma criança.
'Grande Mural da Vagina'*
Para ajudar as mulheres que se inspiram em um padrão inexistente no mundo real e querem transformar seus corpos sem pensar muito no assunto, o artista inglês Jamie McCartney resolveu tirar moldes das vaginas de diferentes mulheres.
Isso mesmo, ele coloca gesso e faz uma escultura de vários tipos de vaginas. Depois de juntar muitos desses, ele cria um mural mostrando como cada pessoa é única e deixa bem evidente das diferenças entre o corpo de cada mulher.
A intenção dele é mudar a concepção de corpo que temos para que a mulher ame-se mais, aceite-se mais e consiga conviver melhor com o real ao invés de ir atrás de um imaginário que cada vez mais a deixará insegura consigo mesma.

Dá pra aumentar o tamanho do pênis?

O dito popular de que "tamanho não é documento" parece não convencer todo mundo. Muita gente fica desesperada com o tamanho do pênis do parceiro ou do próprio membro e acaba acreditando em promossas de internet.
O problema de tamanho é tão antigo que tribos indígenas já davam um jeitinho no problema há cinco séculos! A técnica tinha a ver com veneno de cobra, dor, 6 meses de sofrimento e um pênis maior ao final de tudo.
É claro que hoje as coisas estão muito mais modernas e ninguém pretende injetar veneno no pênis de ninguém — espero eu, mas o sofrimento e os riscos ainda existem e não dá pra fazer mágica. O máximo de aumento possível é 3 cm.
Antes de pensar em mexer em time que está mandando bem em campo é bom saber qual a média brasileira. O bonitão se desenvolve até os 16 anos e varia de 7 a 27 centímetros. Menor que isso é considerado micropênis, maior pode causar problemas e deixar mocinhas assustadas.
Uma coisa MUITO importante a se saber é a profundidade média da vagina: 12 cm. De que adianta ter 27 cm de pênis se não tem onde encaixar? Pensando assim, deveria ser muito mais interessante pro homem ter um pênis grosso do que comprido. Algo pra se pensar...
Outro ponto alto da sabedoria popular é dizer que "é melhor um pequeno brincalhão do que um grande bobão". E com algumas dessas maluquices para aumentar o pênis você pode, além de ficar impotente, tornar a aparência dele um tanto quanto feia, deixar o pênis torto e apontando para baixo, e ainda corre o risco de romper nervos.
Se ainda assim você e seu gato acham que é necessário melhorar o acessório de fábrica, dá pra escolher entre terapias que funcionam no momento e depois tudo volta ao normal ou aquelas que ficam pra sempre.
A absurda
Amarrar um peso na ponta do pênis é uma das ideias vendidas por aí. Só tem um problema, você fica impotente e ele nunca mais fica duro. Vale a pena?
As temporárias
Usar uma prótese conhecida como prolongador. Ele parece uma camisinha, mas tem um acessório junto. Pode ser sivertido na hora 'h'.
As bombas de sucção dão alguns centímetros de brinde pra você logo depois de serem usada. Mas o efeito não é pra sempre e vai embora junto com a ereção.
As permanentes
Malhação peniana é uma das saídas pra quem quer aumentar o amigão. Os exercícios podem ser feitos em casa e prometem até 2,5 cm a mais. Procure um médico para ter uma série pra chamar de sua.
Você também pode optar pelo uso da testosterona, um hormônio que dizem aumentar em até 2 cm o comprimento do amigão. É claro que pra isso você precisa de orientação médica, não vá brincar com algo tão importante quanto sua vida e a do seu pênis.
E, por fim, as famosas cirurgias. São diversos tipos, mas todas elas aumentam o órgão em até 3 cm. Elas são indicadas pra quem tem menos de 7 cm ou perdeu parte do membro em acidentes; mas mesmo assim a procura por homens com tamanho saudável procuram esse tipo de mudança.
As opções podem separar o pênis do ligamento que o prende por dentro, injetar de células gordurosas retiradas de outra parte do corpo ou lipo para tirar o acúmulo de gordura ao redor da púbis.
Lembre-se, em time que está ganhando não se mexe. Todo cuidado é pouco!

Peluda, peludinha ou careca. Como os pelos influenciam o sexo?

Em tempos de semanas de moda pelo país, nada mais justo do que falar sobre tendências, certo? Mas é claro que, por aqui, as tendências tem tudo a ver com sexo!
O Instituto Kinsey para Estudos sobre Sexo, Gênero e Reprodução, dos EUA, em parceria com a Universidade de Indiana, também na "América", realizou um estudo bem interessante sobre a influência brasileira sobre as mulheres americanas. Mais especificamente sobre a depilação de suas vaginas.
Os estudiosos — bem espertinhos na escolha do tema, né? — falaram com 2.451 mulheres sobre seus hábitos de depilação. E se você acha que a "depilação brasileira" é o sucesso do momento, está muito enganada!
Na tipo de procedimento que nossas depiladoras levaram aos EUA, um pouquinho de pelo é deixado na parte que o biquíni cobre, certo? Pois é, agora a onda é tirar tudo, não deixar nada. Ficar peladinha mesmo.
E olha só, entre 18 a 24 anos, 87,7% das entrevistadas tira tudo ou quase tudo. Foi constatado que essas mesmas mulheres tiveram maior probabilidade de observar seu próprio corpo por conta da técnica. E ainda são as que se dizem mais contentes com a vida sexual. E isso não fica apenas com as héteros, 86% das bissexuais e 74% das lésbicas fazem a mesma coisa!
A pesquisa ainda traça uma relação direta entre depilação e sexo oral. Das totalmente depiladas, 81,6% dizem ter recebido sexo oral nas quatro semanas anteriores à pesquisa, seguido por 70,8% das que deixaram apenas uma faixinha de pelos.
No Brasil a moda também pegou. Em conversa com as amigas, leitura de revistas e sites femininos, vemos que as opções são diversas. Desde tirar tudo até fazer um desenho engraçadinho, colocar glitter e até tingir os pelos.

Moldes de depilação artística

Mas o que isso tem a ver com a qualidade do sexo? Dizem que a mulher se sente mais segura sem os pelos, que sente-se mais limpa e cheirosa. Alguns médicos acham prejudicial esse tipo de depilação e alegam que o pelo é uma proteção da mulher. Outros acreditam que, com o advento dos sabonetes íntimos, não há mais problema, desde que a higiene seja feita cuidadosamente, segundo uma reportagem do jornal Folha de São Paulo.
Há ainda uma discussão de que a depilação total deixa a vagina da mulher parecida com a de uma garotinha. É, isso é bastante nojento, afinal, estamos falando de fantasia sexual ligada a pedofilia. E preferimos, nesse momento, nem aprofundar nesse assunto.
Por aqui, acreditamos que o sexo é uma das realizações pessoais de cada um, que a mulher deve se sentir a vontade e se depilar como tem vontade — e não apenas porque o parceiro prefere de um certo jeito.
Agradar a pessoa com quem você faz sexo fazendo de vez em quando uma depilação diferente, do jeito que ele sonha, pode ser muito legal. Desde que isso não a agrida.
Muitas mulheres não se sentem bem depilando-se completamente — principalmente aquelas acima dos 30 anos, aponta o estudo — e não é necessário se render à moda.
Como todas as tendências, pode ser que em pouco tempo tudo mude e a falta de depilação passe a ser um sucesso. Nunca se sabe. O importante é, com ou sem pelos, que a mulher conheça seu corpo, observe sua genitália, tenha um espelhinho para ver onde não conseguiria. Só assim a mulher conseguirá ter prazer pleno. Conhecendo-se.
Fiz ainda uma pesquisa informal, no Facebook, com alguns amigos e leitores de ambos os sexos, e o resultado foi o seguinte:









A preferência bate com a apontada pelas pesquisas, mas não deixa de mostrar que um bom número não se importa com a existência de pelos.
Se você não gosta de depilação, apare os pelos. Não precisa sofrer com a dor da cera ou a alergia da lâmina, mas também não precisa ser totalmente selvagem — se bem que há muita gente por aí que gosta das coisas ao natural.
Se você gosta de depilação, aproveite a onda. Tire tudo que quiser, mas lembre-se de reforçar a higiene. Na hora de apostar em desenhos divertidos, tome cuidado para que seu parceiro não ache tudo hilário e acabe com o clima.
E lembre-se que pelos não são sujos, não são fedidos, não são um problema. Pelos são parte do nosso corpo e se render a todas as tendências da moda pode nos deixar sem personalidade. E tem coisa mais broxante do que sexo sem personalidade?
A dica final que posso dar, por aqui, é: cuide da sua higiene. Não importa quanto pelo você tem ou qual o tipo de sexo que você curte: uma vagina limpa e cheirosa é o melhor que você pode oferecer. A você mesma!

Depilação aumenta chances de contrair doenças

Depilação pode ser prejudicial. (Foto: iStock)A crescente paranoia por retirar todos os pelos do corpo, principalmente os pubianos, já está dando sinais de perigo. Médicos dizem, há anos, que pelos são importantes para a proteção do corpo, mas agora começaram a mergulhar mais profundamente neste assunto.
Um trabalho francês, que será publicado no periódico Sexually Transmitted Infections, teve resultados preliminares assustadores. Mesmo com uma amostragem baixa, 30 pacientes, já obtiveram resultados alarmantes.
Ao buscar entender o aumento agressivo da contaminação de adultos por todo o mundo por uma infecção causada pelo vírus "Molluscum contagiosum" – que provoca manchas que se parecem com pérolas e é comum em crianças – os pesquisadores chegaram aos resultados de que dos 30 pacientes (6 mulheres e 24 homens) que visitaram a clínica com a doença sexualmente transmissível, 93% tinham retirado seus pelos pubianos. Lâmina (70%), tesoura (13%) e depilação (10%) foram os métodos utilizados.
Desses 30 pacientes, dez apresentavam verrugas, infecção bacteriana ou os dois problemas.
A conclusão preliminar é que a remoção de pelos pubianos aumenta o risco de contrair o vírus ou outras infecções de pele transmitidas pelo sexo. A explicação é que pequenos cortes na pele - que nem são percebidos, mas acontecem durante a depilação – são a porta de entrada para vírus e bactérias.
Especialistas sem participação na pesquisa, mas ouvidos pelo The Huffington Post concordam com a teoria. "O corpo tem uma série de mecanismos de defesa para evitar a infecção. Um desses mecanismos é a pele normal, saudável" explicou Robert Brodell, chefe de divisão de dermatologia da Universidade de Mississippi, nos EUA.
Para o chefe da divisão de doenças infecciosas da Universidade Johns Hopkins Bayview, Jonathan Zenilman, a problemática faz sentido. Ele ainda acrescentou que o vírus do herpes, por exemplo, é conhecido por ser mais transmissível quando há pequenos traumas na pele durante o sexo.
Outros fatores de risco para contrair doenças com ajuda da depilação são feridas abertas, compartilhar toalhas, lençóis e roupas íntimas.

Homem nu e com boneca inflável corre de mulher na China

Mais uma vez na China, mais uma vez uma cena bastante bizarra. Um homem foi flagrado correndo de uma mulher, ambos nus, sendo que ele estava com uma boneca inflável na mão. A imagem já circula nas redes sociais locais e no Facebook, fazendo sucesso entre os usuários.
Não se sabe o que os dois faziam e nem se eram um casal. As especulações, claro, já começaram e usuários cogitam até que a cena pode ser uma jogada publicitária. Outros acreditam em apenas uma brincadeira dos dois e há aqueles que julgam que tudo fazia parte de uma briga de casal. A verdade provavelmente será bem difícil de ser descoberta.

Homem nú com boneca inflável foge de mulher na China (Foto: Reprodução/Weibo/Xi'an)

Chinesa encontra homem bêbado em calçada e faz sexo com ele

Ele bebeu muito, caiu na sarjeta e... Se deu bem? Um homem chinês caiu de bêbado na calçada e foi 'atacado' por uma mulher que começou a fazer sexo com ele caído na calçada.
A foto do ato começando ser consumado rodou a internet por meio do Weibo, rede social chinesa semelhante ao Twitter.



Pessoas que passavam pela rua na hora contaram que, ao avistar o homem bêbado, a mulher simplesmente abaixou suas calças e começou o ato sexual. Sem se preocupar com os pedestres ao redor, ela não se incomodou nem com as fotos tiradas.

Em poucos minutos o caso ficou público com sua divulgação na internet e o homem caído virou piada. Alguns pedestres inclusive tiraram fotos com ele, ainda caído, já sem sua amante secreta e inesperada.

Há dúvidas, claro, sobre várias coisas. Será que eles já não se conheciam? Ele estava bêbado mesmo? Afinal, não é fácil estar ali de 'prontidão' e bêbado. O que importa é que ela foi bem desinibida...





Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

15 SINAIS QUE ELE QUER SÓ SEXO

GUIA ILUSTRADO DE SEXO ORAL EM MULHERES E HOMENS

O QUE É A EJACULAÇÃO FEMININA ?